segunda-feira, agosto 12, 2019

Leo Vieira Resenha: Dercy de Cabo a Rabo- Maria Adelaide Amaral

Um livro surpreendente. Muito longe do perfil desbocado e caricato, Dercý Gonçalves revela que teve uma vida muito difícil. E ela é uma mulher culta e séria. O tempo foi moldando a carreira dela, a construindo numa personalidade caricata, mas ao contrário do que ela sempre passou através de seus espetáculos e performances na TV, ela demonstra ser muito inteligente e batalhadora, numa época em que o teatro era uma coisa marginalizada e no mesmo baixo nível da prostituição. No peito e na raça, Dercy conheceu homens, teve 9 gravidez indesejadas, sendo 8 delas abortadas. Criou a única filha Decimar o mais longe possível de sua rotina atribulada.
Dercy sofreu muito assédio. Ela conta que por motivo de sua irreverência, daria direito aos homens se aproximarem com todo o tipo de intenção possível e que era sexualmente depravada. Ela revela que sofreu estupro aos setenta anos! Outras tristezas como traição no casamento, desvio de dinheiro pelo
seu contador, entre outros dissabores que quase a fizeram deixar a carreira de lado.
É uma lição de vida e a leitura surpreende. A autora Maria Adelaide Amaral soube reunir muito bem a extensa história de vida dela e conseguir resumir ao máximo no livro.
Nota 5

Na minha página no Facebook vocês podem acompanhar todos os meus textos e tiras quadrinhos:
https://www.facebook.com/LeoVieiraArtes/



Eu estou no Skoob também. Me acompanhe lá e leiam as minhas resenhas:

https://www.skoob.com.br/usuario/385870-leo-vieira

Continue Lendo
Nenhum comentário
Compartilhe:

segunda-feira, agosto 05, 2019

Leo Vieira-Resenha: A Fantástica História de Silvio Santos- Arlindo Silva


Este livro deveria se chamar "A Extraordinária História de Silvio Santos". O autor Arlindo Silva foi um jornalista que acompanhou bastante a vida de Silvio Santos e não teria alguém melhor para descrever tanta coisa com tanto aprofundamento. Senor Abravanel, seu nome verdadeiro, sempre teve o dom para o negócio, sempre foi muito comunicativo e sempre gostava de trabalhar, farejando bons negócios à distância. Sempre com muita disciplina, o aprendizado a longo prazo foi fazendo o menino do Rio tomar gosto pelo negócio da venda e da comunicação, tendo um bar com rádio e até um sistema de bingo dentro da barca para Paquetá. O jeito criativo com a locução, transformando qualquer momento em um show, foi fazendo ele ganhar espaço e conhecer gente importante e com o decorrer das páginas, o leitor vai ficando cada vez mais admirado com o Homem do Baú. A grande reviravolta com a concessão da tv, entre outros acontecimentos bons e ruins o transformam nesta lenda incrível na história da comunicação do país.
Nota 5

Na minha página no Facebook vocês podem acompanhar todos os meus textos e tiras quadrinhos:
https://www.facebook.com/LeoVieiraArtes/



Eu estou no Skoob também. Me acompanhe lá e leiam as minhas resenhas:

https://www.skoob.com.br/usuario/385870-leo-vieira




Continue Lendo
Nenhum comentário
Compartilhe:

sábado, fevereiro 16, 2019

Porque não estou blogando

Olá!, pessoal!
Quem costuma visitar o Mundo Literário deve ter percebido que a frequência de postagens diminuiu bastante nos tempos mais recentes. Acreditem quando digo que eu não deixaria esse blog ficar assim sem uma forte razão. Amo esse espaço. Ler, resenhar, falar sobre literatura, interagir com vocês… Enfim, o Mundo Literário é uma das coisas que mais me dá prazer no mundo.

Há um motivo para o blog andar dessa maneira, um motivo complexo e muito, muito pessoal. Tanto que hesitei em falar sobre esse assunto. É uma questão difícil de colocar para fora, eu nem tinha certeza se deveria trazer essa questão.

Mas tenho amigos e amigas maravilhosas aqui no blog e, depois de pensar por um longo tempo a respeito, decidi compartilhar com essas pessoas o momento que estou passando em minha vida.

Estou doente.

Pronto. Agora vocês já sabem.

À essa altura devem estar imaginando que não se trata de uma doença comum. E não é mesmo. É uma doença que vem debilitando meu corpo e deixando minha mente fadigada. Realizar qualquer atividade física se tornou uma batalha. Mesmo as menores coisas me exigem um grande esforço e fazem meu corpo doer.

O desgaste mental chega a me afligir ainda mais que o físico. Nem sei colocar em palavras a ansiedade que sinto enquanto espero pela próxima consulta, dividida entre a expectativa por boas notícias e o medo de notícias ruins.

Ainda assim, sigo lutando, amparada pelos meus filhos e por amigos que moram no meu coração. Obrigada, meu agradecimento sincero para quem acredita em mim, quem tem me mandando força e feito orações pela minha saúde. Saibam que nunca vou me esquecer de vocês.

Vou mantê-los atualizados sobre qualquer novidade. Até lá, agradeço qualquer pensamento e energia positiva. O Mundo Literário segue em frente, assim como eu, mirando dias mais tranquilos e alegres. Porque eles virão, acredito nisso.

Continue Lendo
6 comentários
Compartilhe:

sábado, janeiro 19, 2019

Transtorno do Déficit de Atenção - Margarete A. Chinaglia

Transtorno do Déficit de AtençãoTDA: sob o ponto de vista de uma mãe”, da escritora Margarete A. Chinaglia.

 Olá, pessoal!

Na emocionante obra, a autora revela os desafios enfrentados do diagnóstico até a fase adulta da filha e pretende ajudar outros pais com seu relato.
Nada dura para sempre, somente o amor de uma mãe. É com essa frase que a escritora Margarete A. Chinaglia resume o enredo do seu livro “Transtorno do Déficit de Atenção – TDA: sob o ponto de vista de uma mãe”. A autora diz que pretende ajudar outras famílias que passam pelo mesmo problema, revelando todos os desafios que enfrentou com a sua filha, desde o diagnóstico na infância até a fase adulta.

Margarete conta que descobriu que sua filha tinha Transtorno de Déficit de Atenção (TDA) aos nove de idade. Ela diz que a luta foi grande. A família buscou apoio em médicos, psicólogos, psicopedagogos e em parentes. Mas ninguém conseguiu diminuir as angústias e medos que sentia. “Desde o diagnóstico, minha vida foi obter conhecimento, estudar e aprender a lidar com o diferente para ajudar minha filha com um único objetivo que ela fosse feliz”.

A vivência a incentivou a escrever o livro com o propósito de ajudar outras pessoas que vivem o mesmo drama. Chinaglia diz que a obra ficou guardada por quatro anos depois de ter terminado de escrever. O receio era com a exposição da sua família, principalmente da filha. “Porém, a vontade de contribuir com outras pessoas me levou a publicar”.

O drama

Segundo a autora, o primeiro desafio foi a aceitação do desconhecido, pois na época pouco se sabia sobre o TDA. Já na adolescência, precisou enfrentar uma escola despreparada para receber crianças com esse tipo de transtorno. Teve de lidar ainda com a ausência de inclusão, além da depressão de sua filha pela baixa autoestima e o isolamento.

No prefácio, a autora preferiu usar o desabafo nas próprias palavras da filha como relato de quem convive com o transtorno na pele todos os dias: "Para mim, vivenciar o TDA foi uma mistura de emoções muito grande: ora depressão ora medo ora intimidação. Às vezes, interminável. Outras, impossível de vencer."

Como lidar

Margarete aconselha outras mães a sempre ir em busca de diferentes opiniões médicas. Diz para sempre tentar ajudar seus filhos com paciência e persistência. Comenta que, em muitas circunstâncias, é preciso explicar repetidas vezes porque algo não está correto e ter a certeza de que ele entendeu. “O portador de TDA não aprende com os seus erros. Porém, uma hora ele amadurece. Incentive e elogie quando merecer. Não se atenha só nas críticas, elas destroem a autoestima”.

- Espero que o livro ensine que para quase tudo nesta vida há jeito e que as pessoas com TDA também são capazes, basta querer e enfrentar as dificuldades de cabeça erguida. Mostre para seus filhos que diante de qualquer dificuldade, as pessoas que os amam sempre estarão ao seu lado - conclui.

Atualmente

Hoje, a filha de Margarete tem 27 anos e é mãe de uma menina de 5. A autora diz que sua filha tem consciência das limitações dela. O transtorno a fez amadurecer tarde, resultando em muitas dificuldades, erros e sofrimentos. “Algumas vezes, ela comenta que não sabe como foi capaz de tomar certas atitudes. Apesar de saber que o TDA sempre irá acompanhá-la, costuma dizer, ‘Nada dura para sempre, somente o amor de uma mãe!’.

Sobre a autora: 

Margarete A. Chinaglia nasceu em São Carlos (SP), mas tornou-se uma paranaense de coração. Formada como farmacêutica bioquímica, sua atuação é em gestão hospitalar, com objetivo de promover um atendimento de qualidade nos hospitais.




Comprar Agora!

Ficha técnica: 

Livro: Transtorno do Déficit de Atenção – TDA: sob o ponto de vista de uma mãe 
Autora: Margarete A. Chinaglia 
Editora: Bonecker 
Tamanho: 15 x 23 cm 
Páginas: 120

Links para comprar:

https://www.facebook.com/Vamosfalardetda
LOJA DA EDITORA BONECKER- RIO DE JANEIRO
https://www.lojabonecker.com.br/buscar?q=tda&fbclid=IwAR2kqvD52J5hflntFFnd3IUQS_UIwr08WTOYHj0xEa0AbobqJ2QkrMAbsSY
AMAZON
https://amzn.to/2T3dqf4
MERCADO LIVRE
https://produto.mercadolivre.com.br/MLB-1122671259-transtor…
AMERICANAS
https://www.americanas.com.br/…/transtorno-do-deficit-de-at…

Continue Lendo
4 comentários
Compartilhe:

terça-feira, janeiro 15, 2019

[Lançamento] A Cor do Preconceito - Peterson Araújo da Silva

Olá, pessoal!

A Cor do Preconceito livro de estreia do autor curitibano Peterson Araujo da Silva, fala sobre temas atuais e polêmicos, como preconceito racial, feminicídio e a morte da Vereadora do Rio de Janeiro, Marielle Franco (PSOL), que ocorreu há mais de nove meses e ainda não teve solução, o autor se propôs a debater os temas sociais mais abordados nos últimos anos. “São assuntos que estão sendo abordados nos meios de comunicação à nível nacional e internacional, e são fontes inesgotáveis de discussões sobre igualdade social e direitos humanos”, explica.

Sinopse

Que sociedade suporta o peso dessa violência? Alguém pode dizer então... Quem matou Marielle Franco e Anderson Gomes?

São muitos os pontos de interrogação, são milhares de vozes que amanhã esperam nas páginas dos jornais ou redes de televisão do mundo inteiro apenas uma resposta.

Não só aqui do Brasil se solicitam respostas das redes nacionais e internacionais para tanta violência, gritamos juntos em uma só voz nesse momento: JUSTIÇA! E mesmo que estejamos órfãos e solidários a essas vidas perdidas na calada da noite, quantas mais ainda serão necessárias para que essa mesma sede de justiça seja suprida?

Autor


Peterson Araújo da Silva, filho de Diva de Miranda e Dilson Araújo da Silva, natural da cidade de Curitiba (PR), nasceu em 14/07/1969. Aos 12 anos de idade foi morar com os pais na cidade de Paranaguá, onde passou grande parte da sua adolescência.

Hoje, tendo retornado à Curitiba, admirador da música, das artes e da literatura, começou a trabalhar em projetos nessas áreas de Cultura.

Comprar agora!




Continue Lendo
9 comentários
Compartilhe:

Títulos que talvez seja do seu interesse!