segunda-feira, novembro 19, 2018

Leo Vieira: Extravasando no Texto


O seu roteiro precisa ser movimentado. Assuste o leitor.
Um escritor deve agir com ritmo. Já viu como os filmes têm uma trama com suavidade, humor, depois ação, conflito e muitas surpresas? Na escrita é assim também. Vai deixando fluir dando um ritmo que aumente a curiosidade de quem estiver lendo. Se imagine lendo também.
Faça surpresas, deixando o leitor admirado e até espantado, coloque coisas imprevisíveis, coisas que nunca imaginaria e dando um desfecho admirável. Reviravoltas. Essa é a movimentação especial do livro. Dessa maneira O leitor estará bastante preso na leitura.
Leo Vieira






® Leo Vieira- Direitos Reservados

Continue Lendo
Nenhum comentário
Compartilhe:

quarta-feira, novembro 14, 2018

[Divulgação : Resenha ] Lina Tâmega Peixoto

Lina Tâmega Peixoto: uma grande escritora da literatura brasileira

De Alexandra Vieira de Almeida - Escritora e Doutora em Literatura Comparada (UERJ)

Historicamente, as mulheres presentes na literatura brasileira sempre contribuíram enormemente para a cultura do país. Uma delas é Lina Tâmega Peixoto. Ela consegue se apresentar ao leitor sempre como uma escritora múltipla e vivaz. Exemplo disso é o seu último livro Alinhavos do tempo (Tagore editora, 2018).

Neste livro, encontramos palavras inusitadas e originais para falar do mundo real e do mundo dos sonhos. Alinhavando os versos com perfeição e precisão, a escritora consegue a difícil proeza de unir o concreto e o abstrato em imagens insólitas. Lina Tâmega Peixoto nesta obra consegue fazer do simples algo extraordinário, carregando o teor simbólico da profundidade linguística. Vejamos os versos de um dos poemas do livro, “O leque de concha”: “A manhã agita/castanhas pétalas de rugas/e a tarde que desfolha/veste o vento por dentro do leque”. Aqui, com linguagem metafórica e surpreendente, a autora consegue reconstruir a passagem do tempo.

Essa capacidade única vem de toda experiência de uma excelente vida acadêmica. Nascida em Cataguases (MG) e considerada uma verdadeira dama da literatura nacional, Lina é consagrada e elogiada por importantes nomes da nossa literatura. Intensamente poeta e destacada crítica literária, fundou juntamente com Francisco Marcelo Cabral a revista Meia-Pataca (1948-49), importantíssima publicação no cenário nacional da época.

Chegou a assumir o magistério no Instituto de Letras da Universidade de Brasília. Lá, ministrou disciplinas como Teoria Literária e Língua Portuguesa. Sua fortuna crítica é admirável. Como exemplo, temos a opinião de um dos mais respeitáveis poetas do país, Carlos Drummond de Andrade. Comentando sobre o livro Entretempo (1983), ele disse: “Ela contém a dose de mistério essencial à boa criação lírica e, ao mesmo tempo, é documento de rara sensibilidade humana”.


Realiza pesquisas em Lisboa sobre as raízes do lirismo peninsular, dando como resultado em várias vertentes de estudos literários. Destacam-se, neste momento, pesquisas sobre a poesia de Cecília Meireles. Professora, poeta e crítica de literatura, tem artigos, ensaios críticos e poemas publicados em jornais e revistas do país e de Portugal. Participa de inúmeras antologias poéticas. É membro fundador da Associação Nacional de Escritores (ANE) e pertence à Academia de Letras do Brasil e ao PEN Clube do Brasil (RJ). Como pesquisa recente dela em crítica literária, temos: “O simbolismo imaginário e o devaneio amoroso na poesia de Maria Braga Horta”, em Revista da Academia Mineira de Letras, volume LXXXIV, 2016.


Toda essa vivência - o magistério, a pesquisa, a crítica e a literatura – é transmitida em suas obras, traçando o caminho da beleza inaugural por meio das páginas de suas obras. É uma autora que domina a arte da palavra em várias vertentes. Dessa forma, Lina Tâmega Peixoto, nome literário de Lina Tâmega Peixoto Del Peloso, é uma mestra das letras que tece com encanto a rede das palavras.
Por Alexandra Vieira de Almeida
Escritora e Doutora em Literatura Comparada

Continue Lendo
2 comentários
Compartilhe:

segunda-feira, novembro 12, 2018

Leo Vieira: O Diário


Isso não é coisa retrógrada. nem coisa ultrapassada, nem coisa de "menininha". O diário é importante para escrever e descrever coisas que aconteceram na sua vida e você não quer esquecer. Até mesmo devaneios que você queria que acontecesse. Coisas misturadas. Sonho e realidade. Escrever também é sonhar, criar alter egos passando por provações, sofrimentos e desafios, sempre com uma grande lição de moral ou um merecido desfecho feliz. Outra coisa linda é ler o que fez e recordar, com todas as emoções felizes e tristes vindo a tona. Nostalgia com outra compreensão. Mas se der medo de alguém ler no futuro, escreva, leia e jogue fora. Afinal, era tudo para a prática da escrita.
Leo Vieira




® Leo Vieira- Direitos Reservados

Continue Lendo
6 comentários
Compartilhe:

sexta-feira, novembro 09, 2018

[Resenha} Lady Barberina & A Outra volta do Parafuso - Henry James






Edição: 1
Editora: Nova Cultural
ISBN: 8513011673
Ano: 2003
Páginas: 274
Tradutor: Leônidas de Carvalho, Brenno Silveira
Sinopse 
Este livro tem duas obras do importante autor de origem norte-americana Henry James.
O conto Lady Barberina, é o retrato de um grande amor guiado pelos valores sociais e é também um relato das complexas experiências de vida do autor e traça um paralelo entre a cultura dos Estados Unidos e a da Inglaterra no século XIX.
A Outra Volta do Parafuso é um excepcional conto de horror. É considerado um dos melhores livros no segmento de terror psicológico. O livro é narrado através de uma governanta inglesa, durante o século XIX, que conta a história de duas crianças que estão possuídas por dois espíritos de criados. É com uma narrativa permeada por suspense que o autor deixa a dúvida sobre a veracidade da história e dos fatos contatos pela preceptora.
Publicada originalmente em 1898, em forma de capítulos, no semanário Collier´s Weekly, A Volta do Parafuso foi, posteriormente à sua publicação completa, considerada uma obra de referência obrigatória entre as melhores narrativas de fantasmas que a literatura já criou. (Sinopse: Partido da causa Operária)

Lady Barberina é um romance leve que descreve  os valores sociais da época através do amor do americano Jackson Lemom  pela inglesa Lady Barberina ,filha de aristocratas decadente, mas que a todo custo tenta manter os títulos.

De nariz "empinado" a família acaba consentindo o casamento dos jovens, mesmo porque precisam de dinheiro e dinheiro é que não falta ao jovem médico Jackson.

No entanto a vida conjugal dos dois era cheia de conflitos, Barberina não consegue se desvencilhar de seus preconceitos em relação a cultura americana que ela acha vulgar e por mais que Jackson  fizesse para agradar e entrosar a esposa nos costumes americanos, não conseguia derrubar a resistência da Lady.

Narrado com boa dose de sarcasmo e ironia, o livro é bastante divertido.


A Outra volta do Parafuso é um conto de terror daqueles narrados à noite em frente a lareira, e é assim que Douglas com muito suspense dá início a história de horror que ele jura que lhe foi confiada pela própria protagonista, há muitos anos atrás.

Trata-se já desde quando a preceptora é contratada  para cuidar de duas crianças  sob a condição de não incomodar de forma alguma seu empregador, o tio dos dois órfãos , fato que o vira somente duas vezes.

A casa é no Campo, bem afastada da cidade e segundo algumas histórias é assombrada por fantasmas e logo ela começa a notar algo estranho na casa e no comportamento das crianças.

E com os dias ela se vê envolta em uma trama que acredita ser obra de espíritos de dois empregados que morrera na casa, inclusive uma preceptora, e ela acaba virando refém do medo ou da maldade de duas crianças, assim coloco porque ao final  da história você não sabe o que pensar sobre os acontecimentos, podendo seguir mais de uma linha de raciocínio

Eu achei  deliciosa a leitura dos dois contos e recomendo!
Para quem leu " A menina que não sabia ler" vai gostar pois é uma adaptação ( se não plágio )  de " A Volta do Parafuso" pois  quando li a Sinopse de " A Menina... achei se tratar apenas de ser uma narrativa igual a de Henry James, mas decepcionantemente é quase a mesma história. Mas é boa! (Risos)

Comprar Agora!

Continue Lendo
2 comentários
Compartilhe:

quinta-feira, novembro 08, 2018

[Resenha] A Maldição do Tigre - Colleen Houck

(A Saga do Tigre - Livro 1)



Edição: 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580410266
Ano: 2011
Páginas: 344
Tradutor: Raquel Zampil
Kelsey Hayes perdeu os pais recentemente e precisa arranjar um emprego para custear a faculdade. Contratada por um circo, ela é arrebatada pela principal atração: um lindo tigre branco. Kelsey sente uma forte conexão com o misterioso animal de olhos azuis e, tocada por sua solidão, passa a maior parte do seu tempo livre ao lado dele. O que a jovem órfã ainda não sabe é que seu tigre Ren é na verdade Alagan Dhiren Rajaram, um príncipe indiano que foi amaldiçoado por um mago há mais de 300 anos, e que ela pode ser a única pessoa capaz de ajudá-lo a quebrar esse feitiço. Determinada a devolver a Ren sua humanidade, Kelsey embarca em uma perigosa jornada pela Índia, onde enfrenta forças sombrias, criaturas imortais e mundos místicos, tentando decifrar uma antiga profecia. Ao mesmo tempo, se apaixona perdidamente tanto pelo tigre quanto pelo homem.


O que um felino branco de olhos azuis não pode fazer.... 

Inevitável não se apaixonar, não apenas pelo lindo tigre branco ou por Ren na sua forma humana, mas sim por toda história que o livro envolve. (Devo confessar que tive muitos sonhos com as tais lendas das Índia  e o belo tigre, rs ) Me ganhou no prólogo!


"Se os tigres têm alma, e acredito que tenham, imagino que a dele seja triste e solitária"


O livro trás uma bela aventura na qual a Kelsey Hayes foi se meter, uma garota órfã, que decide aceitar um trabalho temporário no circo para ajuda-la a bancar a faculdade, seu trabalho é ajudar o adestrador com a alimentação dos cães e o tigre. Kelsey sente uma ligação com Ren desde o momento que o vê em sua apresentação, o misterioso tigre branco de olhos azuis. Impressionada por sua beleza, dia a pós dia, se sente mais ligada a ele, onde passa parte de suas noites ou horas vagas ao lado da jaula, lendo seus poemas e livros favoritos a ele, sem se quer sonhar o mistério que esse tigre envolve.

Até que um dia um homem com o nome de Kadam aparece e faz uma proposta ao dono do circo, para comprar o tigre, com a ligação dos dois, esse sr. oferece a Kelsey a oportunidade de acompanhar o tigre de volta a Índia, para ajuda-lo na adaptação.

É ai que começa a aventura, o sr Kadam certa vez contou a ela, antes da viagem sobre uma história na qual envolvia um príncipe chamado Alagan Dhiren Rajadam, que foi traído por seu irmão e por fim uma "trágica morte" o que a deixa curiosa, e onde descobre que assim que surgiu o nome do tigre, ren, em homenagem a esse príncipe. Ao desembarcar na Índia, ela se despede do sr, Kadam que lhe entrega uma mochila e diz que a veria em alguns dias, ela e o tigre se dirigem ao caminhão que os levaria ao seus destinos, ao pararem no caminho para comer, o dono do caminhão abandona ela e o tigre solto no meio da estrada, frustada e preocupada com Ren também, começa a segui-lo pela selva, até que encontra uma pequena cabana, ao entrar, Ren se aproxima dela, em sua forma humana, quando Kelsey se vira se depara com um lindo rapaz de cabelos negros, ela fica em choque, é onde ele começa a explicar cada detalhe de sua maldição. Ren só pode ter sua forma humana por 24 minutos, a cada 24 horas. Após passar a noite na cabana, um Xamã lhe explica como ela pode ajudar a quebrar a maldição de Ren e seu irmão,por mais absurda que pareça a história, Kelsey se compromete em ajudar. A partir daí e com ajuda do sr. Kadam, eles vão tentando decifrar a tal profecia, e claro que o inevitável acontece, Kelsey se apaixona por Ren em sua forma humana, que é ainda mais encantador que o tigre branco, surgindo assim o romance entre eles, até Kelsey se sentir insegura, com pensamento de que quando a maldição for quebrada, ele não iria querer saber mais dela, e nada que o belo príncipe faça, ela acredite, por medo.

Ao decorrer de toda a trama, e com uma narrativa muito gostosa, você acaba conhecendo muitas lendas indianas e embarca a cada perigo que acontece, é um livro empolgante, que deixa a vontade de mais e mais. Uma pena que é uma saga, rs Porque já estou desesperada pelo segundo volume.

Recomendo com toda certeza. Uma boa leitura!

Comprar Agora


Postado por Jess (a garota do blog rs)

Continue Lendo
Um comentário
Compartilhe:

Títulos que talvez seja do seu interesse!