quarta-feira, julho 11, 2018

[Resenha] A Filha do Pântano- Karen Dionne

Sinopse

Finalmente, Helena tem a vida que merece. Um marido dedicado, duas filhas lindas, um negócio que preenche os seus dias. Mas, quando um presidiário se evade violentamente de uma prisão vizinha, apercebe-se de que foi ingênua ao pensar que poderia deixar para trás os seus piores momentos. Helena tem um segredo: é o resultado de um rapto. O seu pai sequestrou a sua mãe quando esta era adolescente e manteve-a em cativeiro numa cabana remota nos pântanos da Península Superior do Michigan. Sem eletricidade, sem aquecimento, sem água canalizada, Helena, nascida dois anos depois do rapto, adorava a sua infância. E, apesar do comportamento por vezes brutal do pai, amava-o... até descobrir exatamente até que ponto uma pessoa podia ser selvagem.Vinte anos depois, enterrou o passado tão profundamente que nem sequer o marido sabe a verdade. Mas, agora, o seu pai matou dois guardas prisionais e desapareceu num pântano que conhece melhor do que ninguém. A polícia começa a caça ao homem, mas Helena sabe que os agentes não têm qualquer hipótese de o apanhar. Sabe que há apenas uma pessoa que conta com as estratégias necessárias para encontrar alguém preparado para sobreviver a uma catástrofe e a quem o mundo chama «o rei do pântano»... porque há apenas uma pessoa que ele próprio treinou: a sua filha.
Olá pessoal!

Esse livro é bem interessante. Na maioria de livros que li  ou filmes/séries que assisti sobre garotas que foram sequestradas, o ponto de vista é sempre da vítima direta, nesse caso a história é narrada pela filha do raptor de sua mãe ou seja ela nasceu no cativeiro e não fazia ideia de que a mãe fora sequestrada. 

Helena é casada, tem duas filhas e esconde um segredo do seu marido — é vítima  e filha do sujeito que fugiu da penitenciária causando pânico na cidade. Não adiantou mudar nome e imaginar um recomeço do zero, seu pai estava solto e ela sabia viria atrás dela, não só sabia como pretendia se adiantar ao pai e começar a caçá-lo, não seria a primeira vez que o fazia e ela aprendeu com o melhor (ele mesmo) como rastrear uma pessoa.

Ela aprendera com o pai os costumes indígenas, aprendeu a amar, admirar e respeitar a natureza e mesmo os castigos brutais e cruéis dele só a faziam mais forte, como ela ia saber que tava tudo errado! Era ela, o pai e a mãe, na maioria ela e o pai, não havia outras pessoas para comparar.

Quando elas fugiram, Helena queria fazer parte desse novo mundo que desapontava para ela, mas a sociedade não colaborou muito e ela já não tinha mais lugar, não se encaixava nesse mundo. O pai a amava ao contrário da mãe se antes distante, agora quase um fantasma. Com o amadurecimento Helena consegue entender todas as atitudes da mãe, mas perdoá-la é dificil , muito dificil se o que ela conheceu do amor foi justamente pelo algoz de sua mãe.

A leitura a princípio incomoda, mas quando você veste a pele da protagonista tudo flui muito bem, afinal ela fala de uma realidade dela, não de sua mãe, ela passou a infância sendo filha amada de seu pai, não do seu raptor. Foi muito difícil pra ela como ainda é até hoje.

A narrativa é intercalada entre o presente e o passado e a cada capítulo uma parte do conto “ A filha do Rei do Pântano “ de Hans Christian Ander, talvez ela tenha escolhido esse conto, pois está a escrever um diário em que pretende que suas filhas um dia venham a ler e dessa forma possam conhecê - la e a entendê - la no futuro.

Eu gostei muito da leitura de A Filha do Pântano e pude  refletir sob outro ângulo — o quanto os pais e a sociedade influencia no comportamento, atitudes e personalidade das crianças ainda em desenvolvimento. A infância é quase um marco do quanto seremos felizes, bem sucedidos no futuro. Imaginem como deve ter sido difícil para Helena desconstruir tudo que havia aprendido, sentido, vivido enquanto era apenas a menina criada na floresta, quão difícil não foi ter sido privada das coisa mais simples (sem mencionar o amor) mas coisas como brincar de bonecas ou mesmo jogar bola , ser normal como as outras crianças —quando pensa que o pode fazer leva uma rasteira da tão gloriosa e aclamada civilização.

Eu recomendo a leitura!

9 comentários :

  1. Ola, tudo bem?
    Ainda não conhecia o livro, mas gostei da sua resenha e acabei me interessando pelo livro, vou colocar ele na lista pra comprar!!
    Beijus

    ResponderExcluir
  2. Oi Márcia,
    Não conhecia a obra, ainda não havia ouvido falar sobre ela e fiquei bem curiosa.
    Parece ser uma leitura bem pesada. Eu gosto de livros densos, sem dúvida esse título foi pra minha lista.
    beijoos

    ResponderExcluir
  3. Oi Márcia, não tinha visto este livro ainda e fiquei empolgada com sua resenha. Gosto quando o livro mescla passado e presente.
    Bjs Rose

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Não conhecia esse livro, e achei a história bem intrigante e cheio de suspense, tem tempo que não pego um livro com essa pegada de mistério, adorei a dica e quem sabe eu não leia.

    beijos!

    ResponderExcluir
  5. Nossa, que tenso!
    Mas parece ser bem interessante.
    Valeu a dica, Márcia :D

    ResponderExcluir
  6. Respostas
    1. Olá!
      Eu não achei pra comprar , na Amazon não tem em português.
      Eu baixei o e-book gratuito nesse site:
      http://lelivros.love/book/baixar-livro-a-filha-do-pantano-karen-dionne-em-pdf-epub-mobi-ou-ler-online/

      Excluir
  7. Gostaria de comprar a edição em Português. Já está à venda no Brasil?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Filha do Pântano (Portuguese Edition)
      Dá uma olhadinha no link acima, mas eu procurei em livrarias como a Saraiva , Cultura e etc. não achei, esse da Amazon está com preço bem salgadinho, mas é uma edição em português.

      Excluir

Obrigada pela visita!. ♥♥
Tem um blog? Deixe seu link que visitarei sempre que possível.
Comentários ofensivos serão apagados!

Títulos que talvez seja do seu interesse!