PUBLICIDADE

[ Resenha ] Desventuras em Série: A Sala dos Répteis #2

Edição: 1
Editora: Cia. Das Letras
ISBN: 9788535919721
Ano: 1999
Páginas: 184
Sinopse:

Caro Leitor,
Se você esperava encontrar uma história tranquila e alegre, lamento dizer que escolheu o livro errado. A história pode parecer animadora no início, quando os meninos Baudelaire passam o tempo em companhia de alguns répteis interessantes e de um tio alto-astral, mas não se deixem enganar. Se vocês tem uma leve noção da incível má sorte dos irmãos Baudelaire, já sabe que, no caso deles, até mesmo acontecimentos agradáveis acabam sempre em sofrimento e desgraça.
Nas páginas que você tem em mãos, as três crianças sofrem um acidente de carro, vêem-se às voltas com uma serpente mortífera, um cheiro pavoroso, um facão enorme e o reaparecimento de uma pessoa que esperavam nunca mais ver.
Infelizmente, é meu dever pôr no papel esse trágicos episódios. Mas nada impede que você coloque este livro de volta na estante e procure algo mais leve.
Respeitosamente,
Lemony Snicket.

Olá leitores do Mundo Literário, aqui estou eu de novo, com mais uma resenha da triste história dos Baudelaire, agora que estou resenhando todos os livros de ‘Desventuras em série’ vou aparecer por aqui com mais frequência, a Márcia, dona do blog, diz que eu sou o fantasminha camarada do blog, pois apareço só de vez em quando rs, mas eu prometo postar com mais frequência agora. Vamos agora ao que interessa, resenha de ‘A Sala dos Répteis’.

Pode conter spoilers se você não leu Mau começo
 

Depois de toda aquela onda de azar e desgraça que cobria os irmãos Baudelaire; Violet, Klaus e Sunny, era de se esperar que eles tivessem um pouco de paz em “Sala dos Répteis” certo?

Errado. 
Logo após a fuga de Conde Olaf e sua trupe, os Órfãos Baudelaire continuam sua aventura com um novo tutor, o Dr. Montgomery, renomado herpetologista fascinado principalmente por cobras. Tio Monty como prefere ser chamado, é um homem baixo com um rosto redondo vermelho e mais amigável do que o tutor anterior, Conde Olaf e as crianças rapidamente se afeiçoam a ele, e ele a elas. Tio Monty até prepara uma viagem ao Peru com as crianças, mas infelizmente tudo deu errado, como de costume, na vida dos Baudelaire, com a vista de um tal Sr. Stephano, que lembra muito alguém que quer de qualquer maneira roubar a fortuna dos órfãos…

“[…] E tão ardorosamente quanto os órfãos Baudelaire gostariam que sua situação fosse diferente, eu desejaria de algum modo mudar as circunstâncias desta história para vocês. Mesmo sentado aqui onde estou, em toda segurança e tão longe do Conde Olaf, mal consigo suportar escrever mais uma palavra. Talvez o melhor fosse vocês fecharem este livro imediatamente e não lerem nunca a continuação desta horripilante história.” (Pág. 84)

Continuando Mau Começo exatamente onde ele parou, A Sala dos Répteis é um romance fascinante. Lemony Snicket narra de forma diferente, mas sem perder o ritmo, é um livro de leitura muito rápida e acredite, é impossível contar mais sem fazer spoiler.
Um ponto interessante do livro é que o autor “para” a história algumas vezes com a desculpa de que ‘teve que ir a um restaurante com uma amiga’, o que torna a leitura mais leve e nos deixa no suspense em algumas passagens. E cada começo de capítulo tem uma ilustração que nos deixa com uma ‘ideia’ do que vai acontecer.
Um ponto negativo: Os personagens não se desenvolveram muito desde Mau Começo, o único foi Conde Olaf, que mostrou ser uma pessoa horrível, mais do que já sabemos, assassinando alguém…
E o autor também faz spoiler da própria história, não sei você leitor do ML, mas eu particularmente ODEIO spoilers, de qualquer forma, mesmo os mais insignificantes. Pra mim, a surpresa é um dos elementos chave de uma boa leitura. E ainda por cima é um daqueles spoilers tipo da Morte em ‘A Menina que Roubava Livros’, fiquei desesperado rs. Ele também faz algumas alusões literárias a William Shakespeare, Virginia Wolf e até Agatha Christie, só que de forma bem humorada.
O que me puxa a terminar essa série de 13 livros é saber se os Baudelaire vão ter de fato, um final feliz. É tanta desgraça que eu não consigo nem imaginar o que pode acontecer daqui pra frente rs.
Acho que eu disse isso na resenha de Mau Começo e torno a repetir, é uma série para todas as idades, o livro é ótimo, com certeza vale a pena ser lido.

 

Lucas Rodrigues

22 anos, Leonino, Potterhead e escravo da literatura. Perdido no mundo das séries e filmes desde 93. Flertando com Stephen King, Namorando J.K. Rowling e uma crush lascada pela Jodi Picoult. Se me virem de cara feia por aí é fome.

2 Comentários em “[ Resenha ] Desventuras em Série: A Sala dos Répteis #2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: