PUBLICIDADE

Leo Vieira – É Errado Outras Mídias Ocuparem as Prateleiras?

É Errado Outras Mídias Ocuparem as Prateleiras?

Você acha errado que a Disney venha ocupar as prateleiras com romances da série Star Wars, além de adaptações das aventuras Marvel em forma de livros?
Você também acha errado que biografias de jogadores de futebol, além de celebridades virtuais tenham espaço nas livrarias?
Se você acha que sim, então você está errado por achar que isso está errado.

Nosso mercado editorial é democrático e não pode restringir espaço para outras categorias literárias nacionais e estrangeiras, sejam elas romances, biografias entre outras.
A Disney investe centenas de milhões para adaptar seus produtos para inúmeras plataformas, como quadrinhos, cinemas, brinquedos, roupas, desenhos animados e não poderia ser diferente nos livros. Desta mesma forma, as editoras, distribuidoras e livrarias, apostando no grande potencial de vendas, andarão juntas no investimento e lucro.
As biografias de jogadores de futebol, além de políticos, artistas e celebridades virtuais além do potencial de vendas, também despertam curiosidade dos leitores pelo seu exemplo comercial e publicitário. Existem inúmeros profissionais por trás deles trabalhando e lucrando com isso.
Há um jogo comercial muito grande envolvendo muitas empresas prestadoras de serviço.
As óticas das editoras, gráficas, distribuidoras e livrarias sempre foram e sempre serão comerciais. Elas não vão sustentar sonho de escritor sem que isso tenha uma vantagem maior para o lado delas.

Existe uma vida muito complexa quando se quer correr atrás de seus sonhos profissionais, literários e artísticos.
Profissionais investem tempo e dinheiro para conquistar um patamar que muitos escritores nacionais julgam errado (e o pior é quando eles não fazem absolutamente nada para chegar a esse nível).
Você não é melhor do que ninguém. O seu livro não é melhor do que os dos outros. Da mesma forma, existe espaço para todos.

Não condene o estilo literário alheio. Vamos ter mais classe, ética e educação, aprendendo a respeitar quem se dedica mais do que a gente.

Clique na tirinha para vê-la em tamanho completo.

Leo Vieira

Sou ESCRITOR (romances, contos, crônicas, composições musicais e roteiros [com filiações e reconhecimentos acadêmicos]), ATOR (teatro e dublagem [tenho DRT]), ILUSTRADOR (personagens próprios, quadrinhos independentes e desenho animado) e PRODUTOR CULTURAL (feiras literárias). Minha formação é teológica; atualmente estou estudando Letras, Jornalismo, Cinema e Marketing.

22 Comentários em “Leo Vieira – É Errado Outras Mídias Ocuparem as Prateleiras?

  • É bem difícil quando se há o bendito preconceito.
    O preconceito existe em todos os lugares e no mundo literário não seria diferente.
    Não seria mais conveniente a todos se cada um respeitasse o gosto literário do próximo??
    Não é porque eu não tenho o menor interesse em biografias de youtubers que eu tenho que condenar que curte. Assim como não gostaria que me condenassem por eu gostar de new adult, por exemplo.
    Enfim, esse assunto ´dá muito pano pra manda e papo pra uma vida!
    Questão interessante essa levantada!

    Ana
    https://literakaos.wordpress.com/

  • Verdade, Andressa. Respeito acima de tudo.
    Beijos,
    Leo Vieira

  • Andressa Ledesma
    8 meses ago

    Eu não curto biografias, mas nem por isso acho que não deveria ter, sabe? Não entendo essas pessoas que falam que certos tipos de leituras nem deveriam ser publicadas, é só não ler, tão simples.
    Livros de youtubers não me interessam porque eu acho que não vai me acrescentar nada, mas isso é minha opinião, e pode ter gente que goste.
    beijos
    http://www.apenasumvicio.com

  • Adorei seu texto e fiquei aqui pensando bastante sobre o mercado editorial e em como as pessoas parecem só querer seu estilo literário nas prateleiras da livraria…
    Eu entendo a ‘implicância’ que muitos tem com outros estilos literários… Eu não me incomodo com os estilos, mas com as modinhas que se seguem no meio editorial – do tipo, livro x faz sucesso, todas as editoras só publicam esse estilo esquecendo do resto. Eu sei, o livro é um produto e é preciso lucrar (até porque se não tiver lucro a editora fecha e acabou qualquer tipo de publicação).
    Agora, acho que a galera trata muito livro como sonho e se revolta com coisas que não tem sentido. Ok, você quer ver seu sonho realizado, mas não acho que é nisso que se pensa quando se despreza o trabalho dos outros por conta de o seu não estar nas estantes – assim como achar que o livro nacional deveria ter mais destaque só por ser nacional… Como leitora, eu gosto de ler vários estilos e sempre procuro boas histórias – mas o meu gosto não é igual ao de todos e, penso que é muito importante que a leitura aconteça (seja lá de qual estilo for)…
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    • Oi, Lica. Sobre o que você disse, das “modinhas”, vou citar um exemplo: Por causa do “50 Tons de Cinza”, tenho visto muitos livros de mulher que fica devassa nas mãos de cafajeste rico e a linguagem dos livros são bem chulas por sinal. Acho desnecessário e tomara que essa onda passe logo, assim como passou a dos vampiros românticos.
      Sobre o “sonho” de cada um, existe mesmo um caminho, só que nem todos estão dispostos a percorrê-lo.
      Beijos,
      Leo Vieira

  • Como você mesmo disse o mercado editorial é muito democrático e se as pessoas estão pedindo esses livros, nada mais justo que sejam atendidos. Além do mais as editoras pracisam lucrar né kkkk.
    Otimo post, muito bem escrito.
    Abraços Leituras da Mary

  • Driely Meira
    8 meses ago

    Oiee ^^
    Eu não acho errado, principalmente porque, se a tal biografia da celebridade está ali, é porque o pessoal gosta, então merece estar ali. Sei que muita gente não se conforma com essa onda de livros de youtubers e celebridades por aí, pois acham que não é literatura e tudo o mais, mas quem é que decide o que é literatura ou não? Acho que, contanto que o pessoal esteja lendo, já está ótimo. É melhor do que nada…haha’ mas, sim, ver um livro nacional estampado na vitrine de uma livraria (principalmente as grandes) dá um orgulho danado.
    MilkMilks ♥
    Milkshake de Palavras

  • Realmente o espaço é de todos, o problema está em uma massificação da mesma coisa. Muitas das vezes nas livrarias temos um espaço minimo para autores nacionais, e um grande espaço para o que vem de fora. Não temos um mundo literário tão democrático assim, mas sim algo onde o que rola é a ditadura do “mais do mesmo”.

    • É verdade. Mas nesse esquema, o dinheiro fala mais alto. Eu já li muitos fanzines que destronariam a Mônica se fossem bem divulgados. Mas até mesmo para marketing, tudo gira em torno do dinheiro de investimento.

  • Gabrielle Verni
    8 meses ago

    Oi Leo,
    Não acho errado outras mídias ocuparem as prateleiras, pois acho que precisamos de variedade e isso faz valer muito a pena, abrirmos espaço para outras mídias. Acho que não devemos condenar nada, pois tudo pode ser útil para nós e, de alguma forma, ajudará alguém.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    • Oi, Gabrielle! O espaço é de todos. Muitos grandes negócios ganharam espaço focando em um público que estava sem atenção. E isso vale para todos os meios artísticos também.
      Beijos,
      Leo Vieira

  • Carolina Ramires
    8 meses ago

    Olá!
    Eu acho que cada um tem um público e o direito a ter o seu espaço. Além do mais, essas leituras são essenciais para criar um novo tipo de leitor que posteriormente migrará para leituras diferentes e fora de sua zona de conforto. Adorei sua reflexão sobre o assunto.
    Beijos.

    • Oi, Carol!
      É desse jeito mesmo. Todos nós temos que exercitar o dom para a conquista de público. Até mesmo a multibilionária Disney começou em uma garagem com um fundador cheio de vontade de vencer.
      Beijos,
      Leo Vieira

  • Concordo quando você diz que o mercado editorial é democrático. E cada leitor tem sua preferência. Penso que pelo menos estão lendo alguma coisa. Precisa ver como eu ficava chateada com meu filho por ele não gostar de ler como eu. Quando ele se interessou pelo RPG, dei graças!

    • Que ótimo, Cidalia. Uma vez eu li que existem mais de 130 milhões de livros publicados e pelo menos um foi feito para cada leitor. Todo leitor um dia encontrará o livro que será a sua “alma gêmea”.

  • Oi, tudo bem?
    Então, eu concordo com você, até mesmo porque o mercado editorial busca produtos que vão da um retorno, e existe um publico para cada tipo de gênero, eu, por exemplo, não gosto muito de biografias, mas conheço diversas pessoas que gostam.

    • Exatamente, Brenna. O dinheiro é deles e ninguém sabe mais do que eles onde investir para obter retorno.
      Beijos,
      Leo Vieira

  • Olá!
    Concordo com você e complemento. Muitos jovens começaram a ler através desses livros de booktubers. É uma m&rd@? É! Mas pelo menos estão lendo algo, saindo da frente da TV e do computador. O que eu tento é pegar esses leitores e trazê-los para a literatura verdadeira, histórias bem construídas, que acrescentam. Mas muito gente tá aí só pra criticar.
    Bjs

  • Pessoal, no terceiro quadrinho da tira, em vez de “dominuir”, leiam “diminuir”, rsrs.
    Obrigado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: