PUBLICIDADE

Leo Vieira: Gráfica

Gráfica


Para se montar uma gráfica, é necessário ter um curso especializado para ter mais intimidade com as máquinas que você vai operar. É claro que você também não precisa mergulhar tanto na questão, mas quanto maior for o seu interesse e intimidade com os procedimentos operacionais e administrativos, maior será o seu desenvolvimento.
Com o avanço da tecnologia, as máquinas estão sendo facilmente substituidas para acompanhar a proporção da demanda de pedidos das gráficas que estão se desenvolvendo.
Mas para quem quer se desenvolver na área editorial e precisa simplificar seus custos, a pequena gráfica é a solução. Através de pesquisas e investimentos bancários, é possível montar uma pequena gráfica para produções menores e assim poder simplificar ainda mais os seus investimentos gráficos.
Mas se você quer investir em produções maiores, procure antes de tudo fazer um curso de impressor gráfico, para ter mais conhecimento das máquinas que você vai precisar.
Em seguida, esboce o material e corra atrás de valores e espaço. Quanto mais fluente e seguro você for, mais rápido atrairá atenção dos investidores.

Equipamentos:

 

Impressora offset nos formatos 4 ou 8;

Guilhotina automática ou semi-automática com, pelo menos, 0,8 cm de boca;

Grampeador, (de preferência elétrico);

Serrilhadeira;

Gravadora de chapas;

Impressora tipográfica com cavalete de tipos variados;

Computador com impressora de boa qualidade e softwares de última geração; móveis de escritório e recepção; telefone, fax, e computador para estoque.


Investimento inicial: Serão necessários um investimento inicial de cerca de R$120 mil em máquinas, aluguel, abertura de empresa, e capital de giro.
Faturamento: O faturamento está estimado em R$35 mil mensais.

Estrutura: A estrutura básica de uma oficina gráfica, pode ser a de um galpão de 90m2 dividido em quatro ambientes, banheiro para os funcionários, salão de equipamentos, recepção e escritório. Se tiver coragem, vá em frente. Um escritor empreendedor não enxerga dificuldades. Devemos ver soluções e não empecilhos.

Leo Vieira

Sou ESCRITOR (romances, contos, crônicas, composições musicais e roteiros [com filiações e reconhecimentos acadêmicos]), ATOR (teatro e dublagem [tenho DRT]), ILUSTRADOR (personagens próprios, quadrinhos independentes e desenho animado) e PRODUTOR CULTURAL (feiras literárias). Minha formação é teológica; atualmente estou estudando Letras, Jornalismo, Cinema e Marketing.

22 Comentários em “Leo Vieira: Gráfica

  • Thais Caluta
    3 meses ago

    Olá Leo,
    Muito interessante a sua postagem, e diferente de outras que venho acompanhando. Confesso que se eu tivesse esse dinheiro, faria um bom investimento nessa área.

    Sucesso
    ^^

    • Muito bom, Thais. O SENAC, SESC e outros orgãos e incentivo empresarial costuma promover palestras e oficinas muito interessantes, pra abrir a mente empreendedora do aluno.
      Beijos,
      Leo Vieira

  • Oi Leo tudo bem?
    Tudo o que envolve o universo dos livros é fascinante. Imagine vermos a produção de um livro desde a sua etapa inicial até a final??? Parece ser um bom investimento, em menos de 6 meses já teria recuperado o capital inicial. Gostei da postagem, diferente.
    beijinhos.
    cila.

    • Oi, Cila. Realmente é um ótimo negócio, principalmente para quem tem muitos livros a lançar. Pode-se até começar com uma mini impressora offset e imprimir no quintal de casa mesmo. Ou quem sabe, abrir uma cooperativa de impressores gráficos entre um grupo de escritores. São ideias a serem pensadas e amadurecidas.
      Beijos,
      Leo Vieira

  • Kamila Villarreal
    4 meses ago

    Olá!

    Post interessante, mas não tenho essa grana toda, senão eu abria a minha gráfica mesmo hahaha

  • Olá Léo! Gostei de saber mais sobre um agráfica. Os instrumentos, o tipo de local e investimentos necessários. Tenho bastante vontade de conhecer uma gráfica, ver cada etapa do processo de confecção do livro. Abraços!

  • Sou autora e não sabia do custo e lay-out organizacional de um apequena gráfica. Acabei de descobrir que não poderei investir nisso por conta própria… rsrsrs Gostei muito da explicação, das imagens, da planta. Sua coluna é sempre bacana e informativa! Até a próxima!

    • Oi, Nuccia. Que bom que gostou. Guarde as informações e vai amadurecendo o projeto. Quem sabe no futuro você não possa realizá-lo?
      Beijos,
      Leo Vieira

  • Juro que sempre tive esse sonho de montar uma gráfica. Não para produção de livros físicos, mas para trabalhos como catálogos, banners, cartazes, convites, cartões, essas coisas. Essa postagem me inspirou muito a procurar pelo curso. Amei! Gratidão!

    • Que ótimo, Eliziane. O SENAC costuma ter uns cursos intensivos de duração de 2 meses. Também existem cursos por apostilas. Corra atrás do seu sonho e boa sorte.
      Beijos,
      Leo Vieira

  • Oi!
    Olha, conheço algumas pessoas que trabalham em gráficas e eu também na adolescência trabalhei em uma, mas não com o foco editorial e acredito que o fato de a produção livros independente ser muito cara, uma boa saída seria a criação de gráficas voltadas especificamente para esse fim, por pessoas que realmente se importem e acreditem na produção literária nacional.

    • Oi, Andrea. Também tenho parentes que trabalharam em gráfica e na adolescência, trabalhei pra uma. Hoje existem gráficas especializadas, as chamadas “editoras por demanda”, que são maravilhosas para quem quer fazer um modesto investimento no seu sonho literário. Inclusive, o meu primeiro livro foi através de uma.
      O problema é quando o autor quer dar um pulo maior que a perna e fazer um investimento arriscado com expectativa incerta de venda.
      Beijos,
      Leo Vieira

  • Oi amore,
    Cada vez que visito o blog me encanto com o tanto de informações super válidas, ainda mais que sou bibliotecária.
    Sempre gostei de visitar gráficas e ver o trabalho que lá é desenvolvido, ainda mais essas máquinas super grandonas, que fazem quase um trabalho artístico, tem vezes.
    Excelente trabalho!
    Beijokas!

    • Oi, Grazi! Essas gráficas com maquinárias gigantescas deixam pilhas de livros prontos em poucas horas. Muito eficientes.
      Beijos,
      Leo Vieira

  • Ana Caroline
    4 meses ago

    Olá, Léo.
    Muito interessante e informativo este post. O faturamento é bom, no final de tudo vale a pena o investimento.
    Deve ser bem difícil o manuseamento destas máquinas, dá até uma aflição, haha

    • Oi, Carol. Nem tanto. Existem até DVDs que ensinam o manuseio. Um operador gráfico começa com máquinas menores e depois vai evoluindo com equipe.
      Beijos,
      Leo Vieira

  • Olá, tudo bem?
    Nossa que post mais legal, não sabia como funcionava uma gráfica e adorei!

  • Olá Leo!
    Gostei muito de conhecer como uma gráfica funciona. Não tenho muita vontade de ter uma, pois sei que dá bastante trabalho. Não me imagino utilizando esse maquinário, mas sei que existem pessoas que ficam fascinadas com isso.
    Beijos ♥

    • Oi, Bruna. Realmente nem todos têm o dom empreendedor. Mas fica uma dica legal para quem quer aprofundar mais no negócio.
      Beijos,
      Leo Vieira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: