PUBLICIDADE

Leo Vieira: Recusando Propostas

Recusando Propostas

É muito comum aparecer amizades de conveniência e o pior, as amizades oportunistas, daquelas que você percebe que não terá utilidade nenhuma pra você, e de quebra vir com uns aborrecimentos.
Quando apresentamos um bom histórico de atividades, começamos a chamar a atenção dos que não sabem e (o pior) dos que não querem fazer nada; mas que precisam de um trouxa, quer dizer, parceiro para ajudar no rumo de seus projetos.
Antes de bancar o bom samaritano, o boa praça, o cara legal e não ser feito de idiota no final, pense bem em diversos aspectos para negar educadamente e sair por cima (e correr longe).
1- Você não é obrigado a aceitar nada. Então se não for legal pra você, pule fora.
2- Projeto embrionário ocupa e faz perder tempo. Só participe de algo realmente definido.
3- Projeto sem rumo causa tédio. E o “chefe” ainda pode culpar os outros pelo declínio disso.
4- Projeto megalomaníaco causa irritação e inimizade. O estresse só aumenta, ainda mais quando causa despesa e deixa prejuízo financeiro para todos.
5- Projeto envolvendo dinheiro e despesa causa briga. Além de ser o estopim pro fim e uma amizade já balançada.
6- Aprenda a dizer não. Se achar difícil, tente pautar pelos motivos acima.
7- Questione funções, tempo, prazo, pessoas envolvidas, acordo assinado e plano B (o que fazer se não der certo). Com certeza a pessoa andará para trás e ficará desencorajado para insistir que você entre nesse barco furado.
8- Se o parceiro estiver disposto a ouvir, apresente uma contra-proposta. Talvez ele não saiba como realizar e por isso, sugestões são sempre bem-vindas.
9- Se não houver acordo, recuse gentilmente. E evite dar brecha para outra lorota.

Leo Vieira

Sou ESCRITOR (romances, contos, crônicas, composições musicais e roteiros [com filiações e reconhecimentos acadêmicos]), ATOR (teatro e dublagem [tenho DRT]), ILUSTRADOR (personagens próprios, quadrinhos independentes e desenho animado) e PRODUTOR CULTURAL (feiras literárias). Minha formação é teológica; atualmente estou estudando Letras, Jornalismo, Cinema e Marketing.

26 Comentários em “Leo Vieira: Recusando Propostas

  • Gabrielly Gomes
    9 horas ago

    Olá, tudo bom?

    São tantas situações na vida que causam dor de cabeça né? Essas dicas tem que ser usadas diariamente se a pessoa quiser manter a cabeça limpa. Não é fácil.

    Beijos

  • Muitas das dicas já uso na vida, não tem como fazer tudo, aceitar tudo ou mesmo, querer tudo. Acho que é essencial escolher bem os projetos e o que vai dizer sim, tempo é limitado e devemos fazer o máximo, porém tb devemos ser fiéis a nós mesmos.
    Adorei o post.

  • Olá Leo,
    Como sempre, mais uma postagem extraordinária.
    O que mais gostei nela, sendo sincera, foi a tirinha. Ela é fantástica.
    Eu também não me obrigo a aceitar nada e, caso o acordo não exista, sempre me nego.
    Acho que precisamos nos valorizar.
    Beijos

    • Obrigado, Bruna. Nos últimos anos eu fui pisoteado por falsas amizades. Hoje eu não deixo de ajudar aos outros, porém com muito mais cautela e limites do que antes. Valorize as poucas amizades que estão por perto.
      Beijos,
      Leo Vieira

  • Diana Canaverde
    2 semanas ago

    Oi Leo, tudo bem??
    Que mundo turbulento o nosso, ainda mais quando não sabemos dizer não ou quando achamos que podemos abraçar tudo e todos.
    Eu aprendi a duras penas a dizer, mas posso dizer que ainda tenho meus fracassos neste sentido. Porém, eu adorei demais suas dicas elas são críveis e se a seguirmos, vai dar tudo bem certo e não teremos dores de cabeça desnecessárias. Xero!

    • Obrigado, Diana. É naquele esquema de fingir que não entende e sair por cima. Ninguém vai conseguir agradar a todos e ainda assim eu prefiro sair como antipático do que ser feito de idiota.
      Beijos,
      Leo Vieira

  • Olá Leo! Ah, se fosse parar para contar quantas situações assim já passei, tanto no meio literário quanto fora dele. O pior é você sair como ingrato ou o chato da situação. Gostei do texto e dos tópicos, quando não me sinto confortável com algo, sempre digo não. Abraços!

    • Oi, Suzana. Você faz muito bem. Não sei se é por causa da idade, mas já estou numa fase em mandar todo mundo ir catar coquinho. Ainda mais quando a falsidade está descarada.
      Beijos,
      Leo Vieira

  • Eu já me peguei em situações assim tanto na literatura como na ciência. Não importa a área, sempre podemos encontrar alguém a fim de usar o outro como alavanca profissional. Eu estou sempre disposta a ajudar os outros, mas depois de ver que essa ajuda toda nunca é recíproca, aprendi a negar educadamente. Agora, já informo das minhas diretrizes com antecedência para evitar discussões depois. A paciência se esgota com o tempo… Beleza de texto! Bj!

    • Obrigado, Nuccia. Em algumas situações, eu nem me preocupo em responder. Tem momentos que ficamos cansados. Essa semana em um evento, um rapaz apareceu todo efusivo e se desmanchando em gentilezas. Falou, falou e depois perguntou como fazia para conseguir filiação em uma das academias que eu participo. Peguei o cartão dele e depois joguei fora.
      Beijos,
      Leo Vieira

  • Kamila Villarreal
    2 semanas ago

    Olá!

    Um excelente conselho, pena que nem todos seguem. Parabéns pelo texto.

  • Que ótimo texto e conselho. Com certeza veio em uma boa hora, eu estava precisando desse “chacoalhão”. Não consigo dizer “não” para as pessoas e no fim sempre acabo me prejudicando.

    Obrigada e parabéns!!!

    Bjs

  • Sabrina Oliiveira
    2 semanas ago

    Gostaria de ter lido esse texto há um tempo atrás, evitaria alguns problemas rsrs. O importante tbm, acredito, é que seja uma parceria recíproca dos envolvidos. Adorei o texto, um ótimo alerta! Beijos.

    • Oi, Sabrina. Infelizmente precisamos passar pelo experimento. Às vezes aparece um malandro efusivo e cheio de ideias. Eu até finjo que acredito e dou um pouco de corda pra depois descartar com sutileza.
      Como o colega Joe de Lima falou, “não queira abraçar o mundo”. Valorize os bons amigos e não tenha pressa pra fazer grandes realizações.
      Beijos,
      Leo Vieira

  • Joe de Lima
    2 semanas ago

    Belo conselho! Quando comecei minha carreira, acabei me atrapalhando por querer abraçar o mundo. Hoje em dia sou mais cuidadoso, além do que, na literatura não é tão comum trabalhar com parceiros

    • Oi, Joe. Infelizmente, no meio literário os escritores só são abertos à parcerias quando é algo de proveito geral coletivo, como uma feira de livros, solenidade acadêmica, etc. Mas quando é pra apoiar um lançamento de algum colega… vai de indiferença até sabotagem!
      Mas é vida que segue. Não desanime e mantenha a política da boa vizinhança.
      Abraços,
      Leo Vieira

  • Rayanni Araujo
    2 semanas ago

    Olá, tudo bem?
    Adorei as dicas!
    Um beijo.

  • OI!!

    Léo são pontos bem reflexivos que nos fazem questionar sobre algumas atitude. Realmente ao entrar em algum projeto e necessário saber o que você quer e o que aquilo vai proporcionar para o seu crescimento e consequentemente dos seus companheiros. Abraços!

  • Oi, Leo. Tudo bem?
    Adorei seus apontamentos. São válidos pra diversas situações. Infelizmente, existem pessoas que só pensam em si mesmas e usam a boa vontade dos outros para se beneficiar. O seu texto é um ótimo alertar.

    Adorei. Parabéns!

    • Obrigado, Helena. Esse texto representa anos de frustrações e aborrecimentos. Mas tudo por um bom aprendizado na escola da vida.
      Beijos,
      Leo Vieira

  • Oi, Léo!
    Nossa, muito relevante essa sua reflexão! E ela não é válida apenas em relações de trabalho, mas na vida como um todo. Infelizmente, há pessoas que se aproveitam mesmo do outro e ainda chamam a pessoa que os ajuda de idiota…
    Precisamos estar sempre atentos com esses “vampiros energéticos”.

    • É verdade, Andrea. Daria um livro imenso se eu contasse o que já passei e presenciei…
      Mas se vocês que estão lendo colocarem em prática essas dicas, passarão bem longe desses prováveis dissabores.
      Beijos,
      Leo Vieira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: