PUBLICIDADE

[Resenha] A síndrome da Boa Moça – William Fezler e Eleanor S Field


Olá queridas(os) leitoras(res) do Mundo Literário!
Espero que vocês estejam bem!
Tive a oportunidade de chegar até esse livro através da Marcia Lopes, produtora e escritora desse blog, aliás, já li diversos livros por causa dela! Vou ser sincera, foi uma das resenhas mais interessantes e difíceis que já fiz!

 SINOPSE
Num mundo dominado pelos homens, as mulheres são frequentemente educadas para viver segundo as regras de conduta de outras pessoas.    
Em a Síndrome da Boa Moça são discutidas estratégias simples e eficazes que permitem à mulher erguer-se e assumir responsabilidade por sua vida. Deixar de ser “boazinha” sem se sentir culpada, liberar-se da depressão, da submissão ao poder de outros, são as chaves para o sucesso.
Com um estilo carinhoso e direto, os autores oferecem um guia de mudanças para toda “boa moça”, com estratégias para vencer no dia-a-dia.
A síndrome da Boa Moça vai ajudar a transformar mulheres dependentes em grandes mulheres.

A introdução do livro faz a seguinte pergunta: Você conhece esta mulher? Em seguida apresenta alguns casos de mulheres, como Margie que deseja começar a trabalhar como repórter de tribunal, contudo quando contou sua ideia ao seu esposo, o mesmo não gostou e ainda desaprovou, dizendo que ela não estaria para ele quando ele precisasse. Visto que ela não poderia mais ser a anfitriã das suas reuniões em casa ou ser sua secretária particular.

Ao final a mãe dela se junta com a opinião do marido e ela acaba desistindo dessa possibilidade, o esposo e sua mãe ficam felizes com essa tomada de decisão, contudo a própria não e passa a evitar sua própria mãe e não ter mais relações sexuais com o marido. Após contar outros casos de mulheres que se submetem ao sistema os autores explicam que descobriram a síndrome ao acaso, devido aos diversos casos que chegavam ao consultório com as mesmas características.

O capítulo 1 aborda a temática: “Há alguma coisa errada comigo”. Neste capítulo é apresentado o caso da paciente Claire S., no qual ela é dona –de – casa, mãe de dois filhos e casada com Mike, aparentemente ela se sente feliz com sua vida, contudo há uma coisa que a incomoda, a dominação de seu esposo em sua vida, contudo a própria se sente culpada por ter esse tipo de sentimento, visto que ela não acredita que merece nada melhor. Analisando a paciente, eles conseguem descobrir o modo como Mike é dominador.

Quando perguntado a Claire uma situação na qual ela sinta-se tolhida por ele, ela diz que é quando ela decidiu comprar um carro, mas ele não permitiu. Ao final eles a fazem entender que ela não precisa da permissão do esposo para poder adquirir algum bem que ela deseje e seja bom para os dois lados e não somente um. O esposo ficou incomodado, mas ao final se acostumou.

Em seguida é abordada a questão do mito universal que as mulheres são imperfeitas, na qual desde a bíblia a mulher está errada e que cometeu o pecado inicial sendo punida tendo que servir ao homem, no caso Adão a vida toda. Ou seja já nascemos erradas e submissas. Outra situação abordada neste subtítulo são os contos de fadas. No qual a mulher sempre está inerte a espera do príncipe para se libertar, ou tirar-lhe daquela condição que ela se encontra. Eles abordam esse tipo de característica como “Complexo de Cinderela”, no qual há um livro sobre essa temática.

Na grande maioria dos casos apresentados, não é estimulado o divórcio ou discussões acaloradas, pelo contrário. Sempre são estimuladas conversas maduras para chegar a um bom senso no qual a mulher possa ser ouvida, amada, valorizada, e respeitada de igual, nem acima dos homens e muito menos abaixo deles.

Vamos às considerações:
Esse livro foi escrito em 1985, 32 anos atrás. Vou ser sincera com vocês, fui lendo o livro crente de que não iria encontrar nenhuma situação parecida que estivesse escrita dentro do meu relacionamento, afinal de contas ele foi escrito muito anos atrás e veja só estamos em 2017, somos evoluídas e empoderadas! Agora visualizem uma pessoa andando em uma ponte beeem mole e pessoas tentando acertar essa pessoa com várias bolas para ela cair e aí ela cai espatifada na piscina, tipo ponte do rio que cai. Essa pessoa sou eu!!

Ao final da leitura, eu poderia claramente olhar para o meu relacionamento e ver diversas situações da quais já passei nesses 05 anos de relacionamento. Já escutei que determinado horário não é apropriado para mulher casada chegar, já escutei diversas vezes que ele trabalha muito mais do que eu e algumas vezes há certo desdém pelo que faço, visto que o que eu faço é somente responder e-mail e não gerir uma equipe e por aí vai.

Mas a melhor de todas que eu já escutei é que batom vermelho ou escuro na minha boca não fica legal porque chama muito à atenção, essa entrou para o top 10 asneiras machistas. Sabem o pior para essa última objeção? Eu sempre evitava usar batom escuro com ele e em um final de ano que passamos junto eu ainda avisei que ia usar. Meio que assim:” Olha eu vou usar batom vermelho, tá bom?”.

Bom… Disse no começo desse texto que fazer essa resenha foi interessante e difícil de fazer porque no final tive aquela famosa DR onde abordava essas questões com meu namorado, verdadeiramente esse livro me deu mais força para continuar lutando, mesmo que dentro do meu relacionamento por formas igualitárias de lidar com a mesma situação. Sempre em mente que não somos nem melhores e nem piores, mas iguais.

E vocês já leram algum livro sobre feminismo? Se tiverem algum para indicar, deixem nos comentários abaixo estou realmente interessada nesse assunto.

Beijos carinhosos
Natália Bovolenta

Compre Agora!

Nata Bovolenta

29 anos, segui e ainda sigo caminhos diferente da minha formação e acho isso o máximo, porque nessa vida nada é imutável. Amo livros de biografias, romances antigos, de organização financeira e de filosofia. Gosto tanto de livros que entre um livro e uma jóia, fico com o livro, acredito que algumas pessoas me entenderão!

22 Comentários em “[Resenha] A síndrome da Boa Moça – William Fezler e Eleanor S Field

  • Olá,

    Não conhecia o livro, mas achei a temática muito interessante e enriquecedora. Com certeza darei uma chance.

    Abraços,
    Cá Entre Nós

    • Natália Bovolenta
      6 dias ago

      Oi Vivianne, bom dia!

      Sim é um livro muito interessante!! Espero que quando você ler, goste!

      Beijos carinhosos,

      Natália Bovolenta

  • Karine Fernandes
    2 semanas ago

    Para te ser sincera, eu conheço o livro já tive a oportunidade de ler, mas não quero. Não que não tenha seus pontos interessantes é só que não me sinto na vontade de ler ele. Mas de qualquer forma eu gostei de ver sua opinião sobre ele, apesar de eu não querer é bom saber a opinião de outras pessoas sobre o determinado livro.

    Beijos

    • Natalia Bovolenta
      2 semanas ago

      Oi Karine Fernandes, boa noite!

      Entendo perfeitamente seu ponto de vista. Há certos assuntos que não temos ainda bem resolvidos! Tudo na vida tem seu momento certo! Mas saiba, você não está sozinha, se esse assunto consigo lidar,é porque hoje aos meus 30 passei por outras situações que me fizeram ser quem sou, ou seja a vida é um aprendizado! Mas saiba, você não está só! Somos muitas e nós nos apoiamos!

      Qualquer coisa estou aqui!

      Beijos carinhosos,

      Natália Bovolenta

  • Temos que lutar contra o machismo e esse tipo de livro nos faz sentir mais motivadas a fazê-lo. Fico muito feliz que você tenha tomado essa ação, pois imagino como deve ter sido difícil. Estamos juntas e lutamos juntas. Adorei o texto!

    • Natalia Bovolenta
      2 semanas ago

      Haise, boa noite! Nunca a palavra sororidade fez tanto sentido com tantos comentários bacanas vindo de vocês!! Sim, temos que lutar mesmo, pois a mudança está efetivamente nas nossas atitudes, pude perceber claramente que a mudança da cabeça de um homem ( quando ele está aberto a isso) vem das atitudes e conversas de uma mulher! Como sempre digo difícil é…mas não impossível! Obrigada pelo apoio!

      Caso venha a ler o livro me conte o que achou!

      Beijos carinhosos ,

      Natália Bovolenta

  • Olá que livro maravilhoso, adorei a proposta e quero muito ter a oportunidade de ler, beijos!

    • Natalia Bovolenta
      2 semanas ago

      Oi Michelle Russo, boa noite!
      O livro é muito bacana, como disso é um livro escrito 32 anos atrás, mas tão atual! Pelo menos foi para mim!rs

      Caso venha a ler, me conte o que achou!

      Beijos carinhosos,

      Natália Bovolenta

  • Ana Caroline
    2 semanas ago

    Olá, tudo bem? Não conheço muitos livros do tema, mas com certeza peguei a sua dica e algumas que as pessoas deixaram por aqui. Com certeza é um assunto que quero conhecer mais afundo e foi ótimo ver por aqui. Adorei mesmo <3
    Beijos,
    https://diariasleituras.blogspot.com.br/

    • Natalia Bovolenta
      2 semanas ago

      Oi Ana Caroline, boa noite! Seu blog é super bacana e fiquei passada que você “só” conseguiu ler 7 livros no mês!!! Caraca…quando eu conseguir ler 7 livros em um mês, vai ser tipo, o homem pisou na lua!
      Referente a resenha, acredito que de verdade todas nós mulheres devemos estar à par dos assuntos refente a nós mesmas, independente de ser ou não feminista, mas acredito que é impossível que nunca venhamos a passar por alguma situação referente a isso e conhecimento transforma!

      Caso venha a ler não deixe de me contar!

      Beijos carinhosos,

      Natália Bovolenta

  • Oi!!
    Eu não conhecia esse livro e fiquei bem curiosa para ler ele, pois parece trazer assuntos que ainda estão na roda mesmo nos dias de hoje.
    Gosto de livros que fazem a gente refletir enquanto lê, e é impossível não se identificar com algumas situações.
    Beijão!

    • Natalia Bovolenta
      2 semanas ago

      Oi Liziane Goulart, boa tarde!

      Fato…é impossível , no meu caso não se identificar com algumas situações…tudo na vida é um ponto de vista, portanto é ruim por um lado perceber que muitas coisas continuam as mesmas, mas ao ao mesmo tempo, que bom que temos livros, sites como os indicados abaixo que nos fazem realmente pensar sobre o nosso papel perante mulheres na sociedade. Não somente quais os papéis queremos ter perante sociedade, mas o que queremos passar adiante como mães, quando optamos por isso!

      Caso venha a ler esse livro, não deixe de me contar o que achou!

      Beijos carinhosos,

      Natália Bovolenta

  • Olá, conheço esse livro, tem um tempo e depois de ver sua resenha, achei digno reler. Você já leu Complexo da Cinderela? Muito bom também. Que bom que a leitura da obra te fez ter um novo olhar sobre seu relacionamento, sua vida enquanto mulher e ser social. Parabéns pela resenha.

    • Natalia Bovolenta
      2 semanas ago

      Oi Lilian Farias! Boa tarde! Não li o complexo de Cinderela, mas estou muito interessada, os autores falam sobre esse livro , no livro dessa resenha que fiz! Já vai entrar para a minha lista de livros para ler! Agradeço sobre o elogio da resenha e sim, esse livro foi muito importante para dar um start com relação a diversas mudanças que quero para mim, assim como para o meu relacionamento.

      Beijos e excelente final de semana,

      Beijos carinhosos Natália Bovolenta

  • Oii, tudo bem?
    Gosto bastante de ler sobre o feminismo, já li os livros da Chimamanda e gostei bastante. Se você estiver interessada no assunto, recomendo a Revista AzMina – é uma revista especializada em assuntos feministas, com reportagens, depoimentos, denúncias – um trabalho incrível.
    Sobre o livro, eu não conhecia mas logo que vi o título corri para clicar na resenha. Já fui procurar mais informações para poder lê-lo pois acredito que esse tipo de assunto deveria ser de conhecimento de todo mundo. Infelizmente, como você disse, chega a ser triste quando vemos um livro escrito há 30 anos atrás ter uma correlação tão grande quanto a situação feminina na atualidade. Esse estereótipo da “boa moça” está presente em todo lugar. Lembro-me quando um carinha na minha sala de aula soltou um palavrão bem alto pra todo mundo ouvir e uma amiga minha respondeu de volta com um palavrão também. A professora mandou só minha amiga para fora da sala porque alegou que “isso não era comportamento de menina”. Hoje eu consigo ficar revoltada com a situação, porque na época mal entendi o que estava acontecendo hahaha
    Amei a resenha, espero poder ler esse livro em breve!

    • Natalia Bovolenta
      2 semanas ago

      Oi Karina Rezende, boa tarde!
      Antes de escrever esse comentário fui acessar a revista AzMina…que iradoooo!! Nunca tinha ouvido falar sobre, fui ler a matéria sobre o esterótipo Rodrigo Hilbert, amei, matéria completa e explicativa! Nossa já está nos meus sites favoritos! Obrigada real pela dica! Sim…concordo com você, conhecimento gera mudanças de atitudes! Caso venha ler esse livro me diga o que achou!
      A autora Chimmamanda, vou procurar para ler as obras dela!
      Um beijo carinhoso e mais uma vez obrigada por todas as dicas!

  • Oiie flor!

    Eu nunca li, mas tenho muita vontade. Acredito que é muito importante para que nós – mulheres – criemos cada vez mais força para lutarmos por nossos direitos!

    E sobre o livro ainda ser atual, infelizmente isso nos mostra o quão pouco evoluimos nestes conceitos!

    Beijos!

    • Natalia Bovolenta
      2 semanas ago

      Boa tarde Leatrice Barros, boa tarde!
      Fico feliz que você tenha gostado da temática e caso venha a ler o livro, não deixe de me contar o que achou!
      Sim evoluímos pouco, mas, pouco ainda é melhor que nada,não é mesmo! E como você disse, concordo, devemos criar cada vez mais força pelos nossos direitos!

      Beijos carinhosos,

      Natália Bovolenta

  • Nunca li nenhuma livro que trata do feminismo, mas tenho muita curiosidade, mesmo não apoiando algumas ideias.
    Sua resenha ficou maravilhosa, me deixou super instigada para a leitura. E fico feliz que tenha se sentido a vontade para compartilhar conosco suas angustias.
    Bjs

    https://blog-myselfhere.blogspot.com.br/

    • Natalia Bovolenta
      2 semanas ago

      Oi Bárbara, boa tarde!
      Acredito que referente ao feminismo assim como diversos outros assuntos devemos sempre fazer um filtro, mas ao mesmo tempo, estarmos abertos para novos conceitos! É importante saber que de fato algumas atitudes de alguns homens são em um sentido de coerção a quem nós somos. Sendo que ao final você pode perder sua essência. Falando de forma pessoal só sei que hoje passo por essas situações ( conscientemente) por ter passado por um outro relacionamento terrível, no qual toda a minha essência era limitada assim como a minha inteligência era colocada em xeque. Contudo se não houvesse uma mudança efetiva por parte do meu atual parceiro em rever e mudar sua forma de pensar, não estaríamos mais juntos! Contei minhas angústias porque sei que esse assunto é fácil ser falado quando não somos nós o alvo. Contudo fiz isso para que as mulheres que lerem essa resenha saibam que não estão sós! E que estamos juntas na luta e na sororidade!! Obrigada pelo seu carinho e se ler o livro me fala o que achou!
      Beijos carinhosos
      Natália Bovolenta

  • Morgana Brunner
    3 semanas ago

    Nata que livro maravilhoso menina, ainda mais com esse assunto sobre mulheres, que desde aquela época sofria com a submissão, gostei de saber a sua opinião e essa capa está bem bonita, quero ler.
    Beijinhos

    • Natalia Bovolenta
      2 semanas ago

      Oi Morgana Brunner, boa tarde!

      Leia sim, o livro é muito bom e nos faz realmente pensar em todas as nossas relações, não somente amorosas, todas as relações com homens ao longo das nossas vidas! Esse livro é muito empoderador!! Quando ler volta para me contar o que achou!
      Beijos carinhosos

      Natália Bovolenta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: