PUBLICIDADE

[ Resenha ] Para Sempre Ana – Sérgio Carmach

Edição: 1
Editora: Caravansarai
ISBN: 9788589862516
Ano: 2011
Páginas: 336
Sinopse:Na mística Três Luzes, o leitor percorre inicialmente três momentos afastados no tempo, onde três homens, de três gerações da família Rigotti, experimentam situações-limite pela influência de uma mesma mulher: Ana. A partir daí, a narrativa o leva a uma instigante viagem, nem sempre linear, entre meados do século XX e o início do XXI, na qual os dramas, o passado, o verdadeiro caráter e os segredos de cada personagem são pouco a pouco desnudados. A trama é conduzida pela busca de Ana e pela busca por Ana, forasteira misteriosa que abala os triluzianos e cuja trajetória se funde à dos demais em uma história carregada de luzes e sombras. A busca de Ana arrebata as emoções; a busca por Ana arrebata os sentidos. E ambas surpreendem. Sempre que tudo parece esclarecido, detalhes antes considerados sem importância provocam uma reviravolta geral na história. Até o último capítulo. Descubra se os mais atordoantes segredos de Três Luzes estão mesmo nos céus ou no fundo da alma de seus moradores. 

Achei difícil começar a resenha de Para Sempre Ana sem fazer revelações e estragar as surpresas que a histórias nos causa durante a leitura. Então decidi dar a vocês uma ideia de alguns personagens, adiantando que nesse livro não há personagens vagos, todos vão se encaixando perfeitamente.

A história se inicia no ano de 2011 com a chegada de Caio a cidade de Três Luzes com a intenção de encontrar sua mãe Ana, desaparecida há mais ou menos 10 anos. A cidade de Três Luzes é povoada de histórias, entre elas a mais famosa seria de que a cidade fora visitada por 3 naves alienígenas e as aparições se dava sempre em noites de lua cheia. Assim pulamos para o ano de 2000 em um relato curto de um suicídio na cela da delegacia, que tinha como dirigente Irineu, um racionalista, excelente em deduções e conhecedor de pessoas, ele não aceita a ideia de não ter sido cuidadoso o suficiente e não ter percebido de antemão que isso poderia acontecer.
Agora voltamos no tempo no ano de 1993, iniciando assim, não digo o começo de como tudo aconteceu, mas o início da linha do novelo que irá se desenrolar nas tramas desta história.
Ana aparece na casa da família Rigotti com o objetivo de exigir que Carlos assuma a paternidade de seu filho. Carlos é filho único de Nestor o único pediatra da cidade e de Márcia que optou largar a mesma carreira do marido para cuidar da casa, marido e filho. Ao ver Ana entrando na casa cheia de convidados, pois estavam dando um almoço que acontecia todos os anos no dia do Natal, Carlos se desespera pois pressente que Ana porá fim nos planos de consolidar por vez seu namoro com Chris sua namorada, filha da professora de sua infância D. Gertrudes…
Todos os personagens dessa história são envolventes, porém Carlos é o que tenho menos afeto, tive a impressão que com tudo que lhe acontecia sendo ele um dos maiores prejudicado, tinha uma atitude distraída, estava sempre precisando de uma chacoalhadela e com isso contava sempre com uma grande amiga Claudia. Embora fica claro seu amadurecimento durante os acontecimentos.
Ana sim me surpreendeu de um jeito muito prazeroso, ela é um personagem que a princípio nos causa um certo desprezo ou desconforto , mas com o desenrolar dos fatos cresce em nosso conceito e terminamos com uma admiração quase sagrada. Ana é uma mulher determinada a alcançar o seu sonho, ser feliz.
Todos os personagens desse livro, que ainda conta com a figura do Padre Motta, de Jorge, amigo de infância de Carlos e Marília que de certa forma foi o pivô de tudo… enfim todos estão interligados.
A cidade de Três Luzes que antes tinha histórias de extra terrestres para contar, hoje conta com mais uma lenda a do “Amante do Vento”.
Eu me pego imaginando o que realmente aconteceu com Ana enquanto esteve desaparecida, tenho algumas ideias, mas talvez a mais correta se fecha com a lenda da cidade, porém acredito que tenham pessoas como Caio e Ana que são crédulos o suficiente para imaginar sendo auxiliados por espíritos de pessoas que já morreram. Agora quanto a pessoa que colaborou com o seu sumiço, só posso pensar racionalmente que se trata de psicopatia e entre tantas surpresas essa foi a mais inesperada e essa pessoa só consigo descrever como doente de alma. Mas no final entre mortos e feridos todos se salvaram, ninguém saiu impune e tão pouco foram castigados, sobreviveram às suas escolhas e bateram com a cara nas consequências.
Lendo Para Sempre Ana me senti o tempo todo como se tivesse vendo as cenas se desenrolarem envolta numa névoa,cortina sei lá, algo parecido, talvez por tantos mistérios , intrigas e reviravoltas que a história dá, quando você começa a ler não quer mais parar, quando pára não para de pensar nele, para mim foi o romance perfeito e Ana ficará para sempre na minha memória, há tempos que não lia uma história tão bem narrada, com uma escrita rica que valoriza o leitor, numa linguagem formal mas que não entedia ,não cansa e só faz acrescentar. Não foi apenas uma leitura pra mim, eu saboreei esse livro, ele vai ficar na minha pilha de livros para futuras releituras, torno a dizer que há tempos que não terminava um livro satisfeita e feliz pelo prazer saciado. Eu acho bobeira dar nota em livros, tanto que as vezes avalio no Skoob e as vezes não, mas fiz questão de colocá- lo em minha lista de favoritos e é claro 5 estrelas. Eu quero deixar claro que qualquer elogio que eu faça sobre essa obra é pouco, Carmach com sua Ana reacendeu em mim o prazer de pegar um livro pra ler e eu lanço um desafio leia Para Sempre Ana e prove que não gostou!

Sobre o autor:

Sérgio Carmach é casado com Luzia Barbosa fonoaudióloga e colaboradora no Blog Sérgio tem 3 filhos do primeiro casamento, é advogado, videomaker e revisor de textos.

Para Sempre Ana é seu primeiro livro e ele não sabe responder o que lhe inspirou a escrever, mas durante a escrita ele também fez reviravoltas na protagonista que a princípio seria Chris e por ter se tornado uma personagem de personalidade chatinha perdeu o posto para Ana.

Perguntei a ele: Qual seu compromisso com o leitor?


“Em primeiro lugar, levá-lo a lugares distantes de nosso mundo e dar-lhe momentos de prazer. Mas acho que o escritor também tem o compromisso de
despertar reflexões no leitor. Espero que Para Sempre Ana cumpra esses papéis.”

O que na minha opinião a missão foi certamente cumprida.
E quanto a projetos futuros o autor declara que em seu próximo livro pretende apresentar ao leitor uma visão desconcertante da eternidade. Talvez alguns considerem meio pesado.Diz ele.
Vamos aguardar então, eu estou prontinha pra ele rs
Você pode encontrar o livro no Skoob
ou no
Blog: Recanto do Escritor – Sérgio Carmach

Você encontra o livro disponível para compra nas livrarias:







Pessoal espero que tenha gostado, deixe um comentário da sua impressão e divulguem nossa literatura.
Beijos boa semana para todos!

Marcia Lopes

Paulistana, bookaholic. Louca por livros de terror,Thriller psicológico, policial, jurídico... Mas não dispensa um bom romance. Também apaixonada por filmes e séries.

11 Comentários em “[ Resenha ] Para Sempre Ana – Sérgio Carmach

Trackbacks & Pings

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: