PUBLICIDADE

[Resenha e entrevista ]-Os dias Esquecidos – Tiago Ramos

oddelivro
Olá pessoal tudo bem?

Hoje é dia de resenha e até que enfim consigo ter um tempo para por a resenha desse livro no blog. Com certeza o autor deve ter pensado que eu tinha desistido, por conta da demora. Todavia, explico com uma palavra: Bienal. Não preciso falar mais nada, né? rsrs
Tentamos uma entrevista pelo  Hangouts mas não deu certo. Então conseguimos que saísse esse vídeo (uma pequena entrevista) o autor foi muito gentil e é um querido.

Bem, vamos à resenha. Bjs
oddefrase

Eu não sei quanto a vocês, mas quando criança, ficava pensando que se Deus tinha criado todas as coisas, então por que quando eu perguntava de duendes, bruxas, elfos e outros, os adultos diziam que eles não existiam, que eram inventados pelos homens, mas nos amedrontava com monstros como Bicho papão, Sapo sunga e outros?

Como podia isso, se foi Deus quem criou tudo? E foi aí que esse livro me pegou “Os dias Esquecidos”. Começa como uma gênese do que autor imagina da criação do mundo. É um livro que amei o enredo, recomendo com certeza, e pra quem é fã de “O Senhor dos Anéis”, as batalhas são tão boas quanto.

Contudo, preciso advertir que não é um livro fácil e rápido de se ler, pois quase não tem diálogos e os nomes são difíceis de pronunciar e guardar. Mas só ´pra vocês terem uma ideia, o autor criou um idioma, coisa que achei genial, ele recriou o começo do mundo com maestria. E só me deliciei, embora ainda não tenha aprendido a língua. rsrsrs Calma, ele ensina.

Agora que vocês já sabem minha opinião, vamos ver se consigo descrever um pouquinho desse incrível livro.

No começo havia somente Üme, o vazio, e somente ele brilhava. Aos poucos ele foi criando coisas, criou uma expansão de nuvens e oito poderes, oito lendas, seus primeiros filhos.
Elonder, pai das luzes
Dorandor, o pai do caos, ele deveria ser o equilíbrio.
Adera, a senhora das profecias, sabia o passado, futuro e presente. Uma vidente.

Sejrasvaranna, a senhora dos ventos, águas e cores
Jësindur, o pai da justiça
Hjelondur, o senhor do conhecimento e sabedoria
Hordar Ördnesher, o pai da vida e morte.
Jorder, o pai da terra e do fogo.

Dorandor era o único que se sentia só, e mesmo que não estivesse ou fosse só, sentia-se preterido, pois enquanto os sete criavam coisas maravilhosas, ele, tudo que tocava, destruía. Então foi se afastando e consumido em inveja e, desapareceu no universo.

Os outros sete, mesmo com interferências de Dorandor, continuaram seu trabalho com a criação do mundo. Criaram um paraíso.

Esses foram criados por Üme, que no fim ficaram apenas “Os Sete” como são conhecidos e os demais são criação deles. (os sete)
Pouco podem interferir entre as guerras, mas com suas bênçãos sagradas aos heróis, eles fazem coisas grandiosas.

Mas o bicho pega quando Esaroth, o vilão dessa história, neto de Caos, que a priori era um dos seres mais lindo de se olhar, começou a pensar maldades e a criar coisas estranhas. É dele que vêm os Globins, Ogros, Trolls, gárgulas , dragões e muito mais.
Ele chegou a sequestrar um dos homens e fazer dele uma de suas criações mais temidas. Badalsir este foi o nome que ele deu a sua cria.
Nessa época já existiam os Elfos, Homens, e Anões. Elfos e anões nunca se deram bem, se juntaram em algumas batalhas, porém a amizade sempre era desfeita.

Os Elfos eram a raça que mais tinha conhecimento sobre todas as coisas. Eles tentavam interação com todos os outros seres, inclusive com os homens, embora lhes passassem o mínimo de conhecimento possível, pois os homens eram ignorantes e sempre usavam o que aprendiam contra eles mesmos.
Os anões sempre agiram por conveniência e assim como os homens, não eram de muita confiança. Eu senti um certo desprezo por eles.

Quanto a Esaroth, este queria o domínio do mundo. Ganhou muitas batalhas, matou pessoas queridas, personagens que eu amava . Mas o bacana é que de uma forma ou outra ele sempre saía humilhado. Por fim, há uma trégua. Esaroth se recolheu, mas tem um trunfo nas mangas que ainda não usou. E com certeza no próximo volume ele virá com toda fúria.

No final do livro tem toda uma explicação com mapa de como ficou o continente entre as raças e como entender a língua. Há detalhes interessantes que fazem você entender melhor a história da criação e especular sobre o que virá depois.

oddemapa

oddeidioma

Gente, vocês não têm ideia de como o livro é bárbaro! Se eu for contar mais vai ter spoiller. Eu me emocionei com os romances no meio dessa “guerra” e com as separações das raças. Senti muito com a perda dos heróis. Apaixonei-me pelos negros.
O autor vai me odiar agora, mas não consigo sentir raiva por Esaroth.

Leiam o livro e depois me falem. O Autor tem uma cabecinha hilária e apaixonante.

Agora assistam a entrevista e espero que curtam assim como eu.

O autor nas redes sociais

FacebookInstagramSkoobFan pagesiteimagem-loja-virtual

Fones: 21 975 54 4388 ⇔ 21 975 54 3558
E-mail: tcframos@yahoo.com.br

Além de comprar o livro com o autor, você pode adquirí-lo nas livrarias abaixo.

Saraivaamazonlivraria-cultura-250x250

Marcia Lopes

Paulistana, bookaholic. Louca por livros de terror,Thriller psicológico, policial, jurídico... Mas não dispensa um bom romance. Também apaixonada por filmes e séries.

27 Comentários em “[Resenha e entrevista ]-Os dias Esquecidos – Tiago Ramos

  • Adorei sua resenha, uma história bastante interessante.O universo que ele criou é espetacular.

  • Oi Márcia!
    Amo fantasia, acho que é um dos estilos que mais gosto de ler, principalmente por causa da imaginação dos autores, que precisam criar todo um mundo novo. Incrível isso que o Tiago fez, de desenhar mapas e criar vocabulário, muito Tolkien! rsrs
    Bjs!

  • Oi Marcia, sua linda, tudo bem?
    Achei fantástico o universo que ele criou, adoro dragões e como fã de Senhor dos Anéis tenho certeza de que adoraria o livro. Só achei arriscado criar um idioma diferente do nosso, não sei se conseguiria me prender à leitura do livro por conta disso. A entrevista ficou ótima, o autor é muito simpático.
    Beijinhos.
    Cila.

  • É sempre bom conhecer novos autores. Achei bem bacana o autor pegar uma história bíblica que todos já conhecem e mudar um pouco colocando fantasia nisso. Amo esses seres que descreveu, anões adoro. Se tivera oportunidade mais pra frente o lerei sim.

    bjs

  • Oie Márcia, primeiramente parabéns pela entrevista! Você sempre arrasando nas resenhas despertando em nós o interesse e a vontade de dar continuidade na leitura dos livros! Beijos Sandra Paim @casanovaorganizada

  • Que bacana! Adorei a resenha, fiquei mega curiosa para ler o livro

  • Cada vez que vejo o Tiago falando da saga O Conto das Lendas, fico mais fascinado com a riqueza de detalhes e todo o cuidado que ele teve para trazer esse livro até nós, os leitores. Parabéns pela entrevista e tb ao tiago pela paixão que dá vida a todo esse universo por ele criado.

    *☆* Atraentemente *☆*

  • Olá Marcia o livro tem uma premissa bem consistente, o universo criado é interessante. Vou anotar a dica. Bjs

  • Oie
    não conhecia o livro mas parabéns pela resenha, me convenceu também pelo enredo que está bem interessante, bela dica e sucesso ao autor

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

  • Oi Marcia , tudo bem ?
    Que resenha maravilhosa, confesso que não conhecia nem o livro e nem o autor que fiquei interessada sim e que vou comprar esse livro com certeza!

  • Oie!!
    Menina que resenha é essa? Perfeita!!
    Infelizmente o livro não é muito o meu tipo, mas indicarei para dois amigos que eu tenho certeza que gostariam.
    Quanto a entrevista? Adorei.. principalmente a simpatia do autor

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

  • Não conhecia o livro e amei a resenha, lembra muito o Senhor dos Anéis e todos os seus personagens místicos. Histórias que envolvem fantasia sempre prenderam a minha atenção. Adorei o post. Vivi 😘 http://www.vivicoitinho.com.br

  • Olá, tudo bem?
    Os dias esquecidos parece ser um livro ótimo, apesar de parecer bem complexo mesmo. Eu adoro o gênero e até faz tempo que não leio nada assim. Vou anotar aqui e se eu ler, te falo o que achei.
    Beijões <3

  • Olá! Achei interessante a premissa do livro e bastante diferente. Acho que quando tiver tempo vou lê-lo.
    Bjs

  • Olá!
    Eu não conhecia o livro e nem o autor, mas confesso que a premissa da obra não despertou meu interesse. O fato de haver poucos diálogos me desanima também. Ainda assim, parece ser um livro muito bem construído, principalmente por conta desse lance de inventar um dialeto.
    Adorei a entrevista e desejo sucesso ao autor!
    Beijos!

  • Super entendo isso de “Bienal” hahaha… mas a resenha e a entrevista pelo vídeo ficaram boas! Gostei bastante da premissa da história, da façanha de ter criado um idioma, e me lembrou um pouco o enredo do SA msm, mas nada assim tão chocante. Adivinha, foi pra lista! XD

  • Michele Lopes, ele é bonitão. Digamos que ele tem um “charme misterioso” (risos).

  • Olá,
    Achei sua resenha maravilhosa e amo livros do gênero.
    Desconhecia o autor e sua obra, mas fiquei super curiosa para me aventurar em todas essas batalhas dignas de serem comparadas às de O senhor dos anéis.
    Achei alguns nomes bem complicados, mas muito interessantes e intrigantes.
    Quero muito saber porque você deveria sentir ódio por Esaroth, mas não conseguiu.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

  • Morgana Brunner
    7 meses ago

    Oii Marcia, tudo bem?
    Menina que livro mais lindo, confesso que me apaixonei de vez, e ainda tive a oportunidade de ver na sua resenha a cultura diferente que é abordada, isso despertou tanto meu interesse que você nem sabe.
    Beijinhos

  • Kamila Villarreal
    7 meses ago

    Olá!

    Não conhecia o livro, mas ele é absurdamente complicado! E é incrível! Parabéns pela entrevista! Vou dar uma pesquisada sobre ele e quem sabe eu me interesse pela leitura.

  • Oii!

    Adorei sua resenha, parabéns! Realmente o autor recriou a criação de uma forma bem diferente. Amo fantasias, então quem sabe não dou uma olhada.

    Adorei a entrevista!

    Beijos!

  • Oi Marcia,
    Adoro o gênero fantasia e Gostei bastante da história desse livro.
    Consegui sentir a paixão que você teve ao ler o livro através da sua resenha. Parabéns!
    Muito legal também a entrevista com o autor.
    Beijos,
    André

  • Olá, eu também já li o livor do Tiago e gostei muito de poder ver uma entrevista com ele e saber mais sobre ele e seus escritos. No começo, eu até gostava um pouquinho do Esaroth e conseguia entender ele, mas com o passar da história fui gostando menos dele.

  • Olá amore,
    Ai Bienal… saudades!!!
    Não conhecia o livro e nem o autor…
    Bom vamos por partes: a capa do livro não me agradou muito… e pra ser sincera a história em si – pelo que você contou ai – não me instigou em nada.
    Parabéns pela parceria e pela entrevista!
    Beijokas amoreca!

  • Oi, Márcia. ficou um texto também complexo. Nossa!
    A resenha já demonstra o quanto o livro é complexo, misturado com a entrevista, dá nó no juízo. Eu não conhecia o autor, nem o livro e fiquei muito curiosa, acredito que em parte por seu entusiasmo. Na entrevista é curioso perceber como a história surgiu, muito diferente.

  • Oi Marcia!
    Ótima resenha. =)
    Eu achei a história muito interessante, e realmente me lembrou um pouco de Senhor dos Anéis, acho que por isso me interessei mais hehehe
    Com certeza vou querer conferir, assim que tiver oportunidade. É um estilo que está sempre presente na minha lista de leituras.

    Beijos
    http://aventurandosenoslivros.blogspot.com.br

  • Olá Márcia. Ficou espetacular a resenha. Confesso que queria falar muito mais na entrevista, só que ficaria um dia inteiro falando e isso não dá. Conforme forem lendo, dúvidas surgirão e estarei aqui para responder todas elas.

    https://www.facebook.com/profile.php?id=100011388275223
    http://tcframos.wixsite.com/ocontodaslendas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: