PUBLICIDADE

[Resenha] Manuscritos do Mar Morto – Adam Blake


Olá pessoal!
Eu costumo fazer minhas resenhas no Google Drive assim que termino de ler um livro e quando vou postar dou uma revisada. Ontem fui fazer uma limpeza e deletei todas resenhas permanentemente inclusive várias que ainda não tinha sido publicadas (que ódio).

Manuscritos do Mar Morto foi uma delas e sei que essa resenha não vai dizer o quanto gostei do livro, porque fiquei mais com as sensações do que com detalhes das cenas e fatos. (precisava desabafar)

Bem, vamos à resenha.

SINOPSE:
A ambiciosa policial Heather Kennedy está em seu trabalho mais difícil: seus métodos de investigação são criticados e ela está sendo assediada por colegas rancorosos porque não lhes dá atenção.
Até que lhe é atribuída o que parece ser uma investigação de rotina, sobre a morte acidental de um professor da Faculdade Prince Regent, mas a autópsia deste caso volta com algumas descobertas incomuns: o inquérito vincula a morte deste professor às de outros historiadores que trabalharam juntos em um obscuro projeto sobre um manuscrito do início da Era Cristã.
Em seu escritório, Kennedy segue com sua investigação e logo se preocupa com o rumo para onde está sendo levada. Mas ela não está sozinha em sua apreensão. O ex-mercenário Leo Tillman — seu futuro parceiro — também tem angustiantes informações sobre estes crimes. E sobre a misteriosa organização mundial a que os crimes se relacionam… Escondido entre os pergaminhos do Mar Morto, um códice mortal pretende desvendar os segredos que envolvem a morte de Jesus Cristo.
Entre um terrível acidente de avião no deserto americano, um brutal assassinato na Universidade de Londres e uma cidade-fantasma no México, Manuscritos do Mar Morto é o mais emocionante thriller desde O código Da Vinci.

Manuscritos do Mar Morto do autor Adam Blake que é o pseudônimo de Mike Carey — escritor britânico cujo trabalho se estende por quadrinhos, romances, roteiros de filmes e programas de TV.
Embora o enredo do livro seja ficção policial, há uma mistura de “suspense” e mistério. As cenas são tão empolgantes que mantém o leitor interessado do começo ao fim, com certeza daria um ótimo filme.
Aos poucos vamos conhecendo os personagens, suas histórias pessoais, personalidades e os seus medos, uma que particularmente me interessou e emocionou foi a história de Tillman.

Leo Tillman é um homem atormentado pelo passado, passa seus dias perseguindo uma pessoa em busca da verdade ou do motivo que lhe tirou a paz e a felicidade. Pois é, antes de se tornar um mercenário Tillman já fora um homem comum com esposa e filhos. Sua história nos causa inúmeras suspeitas.

Heather Kennedy a princípio causa a impressão de uma pessoa fria e arrogante, porém, no decorrer da leitura percebemos que o motivo por trás disso é a situação por qual passa no trabalho sendo vítima de piadas machistas por parte dos colegas e tem em casa seus problemas familiares. Na (verdade) Kennedy é inteligente e muito corajosa.
Achei Heather e Tillman uma dupla muito bacana e interessante, seus ideais divergem e ao mesmo tempo os une.
Embora Tillman e Kennedy sejam os principais personagens existem muitos outros que são de suma importância para a trama.

A história começa em clima de mistério. Um avião cai no deserto americano sem deixar pistas do motivo, deixando as autoridades do local perplexo e sem saber por onde começar a investigação.

Enquanto isso em Londres o que era apenas uma investigação de assassinato se transforma em conspiração internacional com vários outros assassinatos e desaparecimentos interligados, envolvendo uma seita religiosa que se denominam filhos de Caim ou descendentes de Caim.

Tudo por causa de um documento que foi decodificado o que nos levaria ao conhecimento que mudaria totalmente a história da morte de Cristo.
Esse “Códice” era o Evangelho de Judas, que os seguidores desse tal testamento quer manter em segredo e usam de todos os meios para isso incluindo a política, armas, drogas que transformam homens e mulheres comuns em verdadeiras máquinas de matar.

“… este testamento não será lido ou conhecido por ninguém, fora da família, nem entregue a outros de forma nenhuma. Mas, se vierem a conhecê-lo, eles serão abatidos… ”
“… e sua bocas serão detidas, e seus dias, contados. Pois a barganha Dele não foi para com eles, mas para conosco, que recebemos nossa vida de Judas, de Caim e da serpente, seu pai”.

Bem, por essa citação já deu pra perceber com que espécie de pessoas Kennedy e Tillman estavam lidando.

O que achei super bacana no livro são os relatos históricos e bíblicos que dá até um ar sobrenatural e nos faz questionar: Será possível?
Eu comprei este livro na Bienal de 2016 e só depois que terminei de ler que descobri que tem continuação, embora o final tenha sido satisfatório.
Por fim é impossível não comparar Manuscritos do Mar Morto de Adam Black aos livros de Dan Bronw até mesmo por causa do tema histórico e religioso com a mesma narrativa empolgante, cheia de suspense e ação.

Marcia Lopes

Paulistana, bookaholic. Louca por livros de terror,Thriller psicológico, policial, jurídico... Mas não dispensa um bom romance. Também apaixonada por filmes e séries.

10 Comentários em “[Resenha] Manuscritos do Mar Morto – Adam Blake

  • Giovana Soares
    2 semanas ago

    Oii, tudo bem?
    Eu adorei a sua resenha! Eu ainda não conhecia esse livro e nem o autor, mas fiquei bem intrigada com a historia pois amo livros policiais, ainda mais quando os investigadores também tem uma historia. Adorei a sua dica e pode ter certeza que o livro está na minha listinha de desejados.

  • Aline Belloni
    2 semanas ago

    Oi, tudo bem? Nossa, se eu perdesse todas as minhas resenhas, ficaria mega triste. Uma pena isso ter acontecido. Sobre o livro, ele parece muito bom. Aliás, histórias com suspense e mistério são meus favoritos.

  • Olá, acredita que eu ainda não conhecia esse livro?
    Pela sua resenha me parece um livro daqueles bem intensos, daqueles em que a gente não consegue parar de ler até descobrir todos os mistérios. Fiquei curiosa com essa coisa da queda do avião.
    Já quero ler!

  • Olá Marcia, tudo bem? Eu não conhecia está obra nem o autor mas achei muito interessante o enredo da trama e a história em si! Amei sua resenha, parabéns espero a próxima.

  • Oi Marcia, eu morro de vontade de ler esse livro e ainda não lido nenhuma resenha. Adorei você ter trazido ela aqui apesar de ter perdido parte do que escreveu originalmente. Bjs

  • Oi Marcia, tem um bom tempo que eu li este livro, e gostei muito. Também fiz relação dele com os livros do Dan Brown, justamente por conta dos motivos que você citou. Apesar da extensão do livro, eu não me cansei dele, sem falar que a capa é muito bonita.
    Bjs, Rose.

  • Morgana Brunner
    3 semanas ago

    Oiii Marcia tudo bem?
    Infelizmente dessa vez a obra não despertou meu interesse, mas fico feliz que tenha gostado e assim trazido a resenha para nós, linda foto e essa capa é maravilhosa.
    Beijinhos

  • Olá,
    Imagino o quão indignada ficou tendo excluído sem querer tantas coisas importantes. Vivo fazendo isso e quero me bater quando acontece.
    Desconhecia a obra e achei bem interessante a premissa, mesmo não sendo um gênero que leio normalmente.
    Dentre os personagens que citou, Tillman chamou bastante minha atenção e fiquei curiosa para saber quem ele perseguia e porque havia tirado sua paz.
    Amei a resenha e espero poder fazer a leitura em breve.

    LEITURA DESCONTROLADA

  • Oi Marcia,
    eu senti um leve arrependimento de não ter lido meu exemplar quando eu ainda o tinha.
    Recebi esse livro da NC e muita gente me falava que era bom, mas tinha medo de não ser um romance policial de fato.
    Dai me deparo com uma resenha que diz que ele tem conspiração internacional, acho muito intrigante..
    Agora preciso ler.
    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

  • Oi, tudo bem?? Eu sou apaixonada por livros de suspense, mistério e com uma pitada de ação. Fiquei bem curiosa pra conhecer esse livro! Histórias envolvendo casos policiais sempre me envolvem, acredito que com Manuscritos do Mar Morto não seria diferente. Tillman e Kennedy me pareceram protagonistas bem interessantes, daqueles que você se pega torcendo durante a história hahaha Parabéns pela resenha! Beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: