PUBLICIDADE

[Resenha ] A Mulher de Preto – Susana Hill

Edição: 1
Editora: Record
ISBN: 9788501093493
Ano: 2012
Páginas: 208
Tradutor: Flávia Souto Maior
Sinopse
O jovem advogado Arthur Kipps, contratado por Crythin Gyfford a atender e cuidar dos papéis da recém-falecida Sr. Alice Drablow, uma viúva idosa que vivia sozinha na solitária e afastada Eel Marsh House. Enquanto trabalha na casa, Kipps começa a descobrir seus trágicos segredos. A situação piora quando ele entende que o vilarejo é refém do fantasma de uma mulher magoada, em busca de vingança

Um “causo” triste.
Na véspera de Natal reunido com sua família a beira da lareira, ouvindo eles contarem histórias de terror, se divertindo e discutindo pra ver quem conta a história mais aterrorizante, quando um de seus enteados lhe passa a vez, isso lhe causa novamente a sensação aterrorizante que nunca lhe abandonou, desde o acontecido há muito tempo atrás, então sem dizer nada se levanta e sai para o ar gelado fora da casa.
Arthur Kipps pensa, não!Ele não iria contar ali num clima de brincadeira a sua história, ele nunca havia contado a ninguém, nem mesmo à sua segunda e atual esposa Esmé, a primeira havia morrido num acidente trágico há muito anos.Sentiu que precisava de alguma forma colocar pra fora o seu tormento, então resolveu escrever e quando alguém estiver lendo saberia que ele não vive mais.
Recém-formado em direito e funcionário de uma grande empresa de advocacia,Sr Grythin Gyfford lhe incube de cuidar do funeral e documentos da sra Alice Drablow,numa cidade onde seus habitantes lhe parecem confusos e misteriosos , se sente fascinado pela casa envolta de névoa e inacessível a noite por causa da maré.
Tem encontros misteriosos com a mulher de preto que nunca lhe fala,mas lhe passa grande sofrimento , ao mesmo tempo que sente algo de maligno naquele semblante belo e doentio.
Na casa é envolvido por alucinações auditivas de uma carruagem em disparada, sem controle e um grito aterrorizante de uma criança, que só se desfaz depois que é tragada pelas águas do Pantano, no quarto da criança que fora tragicamente afogada ,cadeira de balanço, roupas e brinquedos, dispostas ali como se fossem ser usadas a qualquer momento, lhe causam saudades de quando ele próprio era criança. E através das cartas encontradas a meio de documentos da falecida , consegue desvendar os infortúnios que fora passado ali, essa sua aventura quase lhe causaram a morte e insanidade.
Havia muito sofrimento em tudo aquilo , o que ele não tinha como saber, que o maior sofrimento seria o dele e a crueldade que pairava sob aquele espírito sofredor , mais tarde iria atingi-lo sem piedade.
Achei esse livro muito prazeroso de ler, ele não é um livro de terror mas um relato aterrorizante , você sente todas as sensações do personagem como se fossem as suas , medo , compaixão, ternura, tristeza e resignação.
E até mesmo pra quem gosta de história mais macabras e empolgantes, não vão ficar decepcionados, com esse lúgubre e melancólico conto.
Eu recomendo sem receio.

Marcia Lopes

Paulistana, bookaholic. Louca por livros de terror,Thriller psicológico, policial, jurídico... Mas não dispensa um bom romance. Também apaixonada por filmes e séries.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: