PUBLICIDADE

Uma tarde em Aimoré…

Me vejo aconchegada
Sentindo o calor do seu corpo
E quando nos falávamos, olho no olho
sua boca bem pertinho da minha…
Queria ser beijada  e me senti beijada
Queria que o transporte de Aimoré não tivesse destino
Sai dali com um turbilhão de emoções
Euforia, felicidade , leveza, eu ainda muito criança não sabia
dar nome àquele sentimento que brotava em meu peito.
Depois veio as trocas de beijos , carícias
Praça Kenneddy ,Galeria Geminy, Oscar Freire
E até uma noite  inteira no boteco de Aimoré
Com direito a ir a feira comprar pastel sem dinheiro!
Enfim tecnologia houve:
Um pouco de sol,
Amar e as dez mais…
Última mensagem do andarilho,
Conexão e retratação
Entre tantos outros…
Hoje sei que sentimento foi aquele que brotou!
E me perdoa pelos mesmos erros citados por ti
Fica bem.
Mit – maio 2010

Marcia Lopes

Paulistana, bookaholic. Louca por livros de terror,Thriller psicológico, policial, jurídico... Mas não dispensa um bom romance. Também apaixonada por filmes e séries.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: