sexta-feira, fevereiro 22, 2013

[ Resenha ] O Advogado da Vida - Jean Postai


Sinopse
Quando começa o direito à vida? Essa pergunta fica quase impossível de ser respondida quando o médico Arthur Galanidel é preso por supostamente realizar abortos ilegais em sua clínica, inclusive em uma menor de idade. O advogado David é escalado para defender o caso, sofrendo a pressão da imprensa e da sociedade, que discutem se uma mulher tem ou não o direito de abortar e se o médico é ou não um criminoso. Será que David conseguirá convencer os jurados a inocentar o médico? Em quais situações é permitido a uma mãe optar por dar ou não à vida a seu filho? Neste emocionante thriller jurídico, as perseguições, tramas e provas são misturadas a todo momento, criando um romance fantástico, de tirar o fôlego. Tudo isso para, no final das contas, o caso ser julgado por sete jurados que decidirão onde começa e até onde vai o mais fundamental dos direitos: o direito à vida.

O Advogado da vida te envolve, te empolga a cada virar de páginas, não encontrei pontos baixos, o livro tem como cenário o mundo jurídico desde a decisão de pegar o caso até às alegações finais dos advogados.
Para mim foi uma leitura diferente, excitante, reflexiva e enriquecedora
O aborto não é assunto fácil, o autor nesse livro não coloca o aborto como certo ou errado, mas sim no direito de escolher. Cada ser humano e nesse caso... a mulher, tem sua crença pessoal e age de acordo com sua consciência espiritual e etc, mas nem todos têm a mesma crença e a lei não pode determinar que uma decisão sua possa ser crime apenas por questões morais.Deixo bem claro que o livro não faz apologia ao aborto e sim nos mostra pós e contra dentro da realidade social.


David, um jovem advogado, está no começo de sua carreira e recebe a proposta do próprio acusado para defendê-lo. Trata-se de um médico acusado de realizar abortos em sua clínica, inclusive em menores de idade. Na verdade David, advogado, fora meio seduzido por Arthur, acusado, que também é seu parente, mas nunca procurou saber do sobrinho.

Por ser um caso de grande repercussão na sociedade, devido sua gravidade e ainda, por ser o acusado, médico de celebridades, alvo da imprensa, essa seria a chance para David ver deslanchar sua carreira, caso viesse a ganhar o caso.
Morgana, a promotora, era brilhante, mas nada confiável e tinha mais anos de experiência na área, do que David de idade. À medida que ele buscava provas para inocentar Arthur, percebia que não tinha uma ideia formada sobre o assunto.
Durante a preparação do caso, ele foi se conscientizando e se fortalecendo e nem preciso dizer que ele foi massacrado pela mídia, agredido por lunáticos religiosos que quase o fizeram desistir.
Arthur era um idealista, não realizava abortos por dinheiro e sim porque acreditava que a mulher tinha o direito de querer ter ou não um filho, e sabia que se não fosse em sua clínica, elas procurariam outras clandestinas, sujeitando-se a infecções e à morte. Sabia também que o que fazia era crime prescrito em lei, ele mesmo admitiu, deixando claro que todos tem direito à vida e a vida nesse contexto – é a integridade física, mental e social da mulher. Todo o tempo que eu lia, pensava em como a justiça é cega rs , o que o médico fazia era crime, fora excomungado da igreja, massacrado pela mídia e etc., mas e as mulheres que o procuraram ?
Bom eu me emocionei tanto com as alegações finais de David quanto as de Morgana. Torci bastante durante o julgamento, muito embora tivesse certeza do veredito.
O livro é o máximo e já está na minha lista de melhores que li em 2013

Comprar

48 anos até novembro, paulistana, louca por livros de terror, Thriller psicológico, policial, jurídico... Mas não dispensa outros gêneros. Também apaixonada por filmes e séries.

7 comentários :

  1. Que excelente resenha! Muito obrigado, gostei demais! Explicou bem o que é o livro e foi muito bem escrita!
    Legal demais estar nos seus melhores de 2013!
    Um beijo
    Jean

    ResponderExcluir
  2. Bom nem sei bem o que dizer a respeito, pois o assunto aborto é muito polêmico realmente. Fiquei bem curiosa para ler, pois é um assunto muito interessante e tenho certeza que vou aprender muito quando ler este livro...

    Parabéns pela resenha.

    Beijokas!

    ResponderExcluir
  3. oi Márcia. Hummmmmm esselivro vai "causar", rsrsrs. Temas polêmicos sempre geram estórias muito interessantes. O limite é muito tênue entre o moral e o legal. Ter direito de escolha é moral, mas é legal? E atender essas pacientes, será memso que ele estaria nos limites da lei??? O Brasil ainda tem muito o que discutir a respeito disso. Como bacharel em direito, apesar de ser uma obra totalmente ficciticia é quase impossível não ver com outros olhos. Quero muito ler esse livro. A pulguinha da curiosidade me pegou. Parabéns pela resenha. bjoks
    Eykler

    www.aghridoc.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Que bela resenha Márcia.
    Nunca li umlivro que que falasse de aborto, me interessei muito por esse livro. Um assunto tão polêmico como esse desperta muita curiosidade.

    Beijokas
    Jéssica

    ResponderExcluir
  5. Muito bacana o seu blog.
    Sobre o post: Parece ser um bom livro. Ótima resenha!

    Comenta lá: http://migre.me/doZvp

    ResponderExcluir
  6. Nossa fiquei super interessada!

    ResponderExcluir
  7. Deve ser muito bom este livro. Agora fiquei curiosa, pois só li livros relacionados a advogados umas duas vez e não era bem esse ponto que eles queriam mostrar.
    Bem, vim aqui para avisar que tem uma TAG para você lá no blog.
    Beijos.

    http://absortoemlivros.blogspot.com.br/2013/02/especial-o-caso-dos-selinhos-esquecidos.html

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita!. ♥♥
Tem um blog? Deixe seu link que visitarei sempre que possível.
Comentários ofensivos serão apagados!