sexta-feira, setembro 28, 2018

[Resenha] Minha vida (não tão) perfeita - Sophie Kinsella

Sinopse

Dramas, confusões e uma boa dose de amor são os ingredientes do novo romance de Sophie Kinsella. Uma divertida crítica aos julgamentos errados que uma boa foto no Instagram pode gerar. Cat Brenner tem uma vida perfeita mora num flat em Londres, tem um emprego glamouroso e um perfil supercool no Instagram. Ah, ok... Não é bem assim... Seu flat tem um quarto minúsculo sem espaço nem para guarda-roupa , seu trabalho numa agência de publicidade é burocrático e chato, e a vida que compartilha no Instagram não reflete exatamente a realidade. E seu nome verdadeiro nem é Cat, é Katie. Mas um dia seus sonhos se tornarão realidade. Bom, é nisso que ela acredita até que, de repente, sua vida não tão perfeita desmorona. Demeter, sua chefe bem-sucedida, a demite. Tudo o que Katie sempre sonhou vai por água abaixo, e ela resolve dar um tempo na casa da família, em Somerset. Em sua cidadezinha natal, ela decide ajudar o pai e a madrasta com a nova empreitada do casal: os dois planejam transformar a fazenda da família em um glamping, uma espécie de camping de luxo e estão muito empolgados com o novo negócio, mas não sabem muito bem por onde começar. E não é justamente lá que o destino coloca Katie e sua ex-chefe cara a cara de novo? Demeter e a família vão passar as férias no glamping, e Katie tem a chance de, enfim, colocar aquela megera no seu devido lugar. Mas será que ela deve mesmo se vingar da pessoa que arruinou sua vida? Ou apenas tentar recuperar seu emprego? Demeter - a executiva que tem tudo a seus pés - possui mesmo uma vida tão perfeita, ou quem sabe, as duas têm mais em comum do que imaginam? Por que, pensando bem, o que há de errado em não ter uma vida (não tão) perfeita assim?

Olá, pessoal!

É sempre um prazer ler um livro da Kinsella, seus livros sempre trazem uma narrativa fluída e divertida  e os temas sejam eles quais forem sempre nos remete a reflexão e com Minha vida (não tão) Perfeita não é diferente.

Aparência de uma vida perfeita constantemente está na mídia, principalmente no  instagram que é local de imagens e fotos de onde as pessoas estão e nos dá uma ideia de quanto é badalada a vida da pessoa, mas acreditar em tudo que se vê postado pode ser perigoso e causar danos a nossa estima.

Katie , Cat na verdade é  como ela prefere ser chamada é uma garota simples do interior que veio trabalhar na cidade dos  seus sonhos, mas as coisas não aconteceram da forma que ela sonhava, porém não é o que diz suas fotos no instagram.

Na verdade ela mora quase  num muquifo como se diz aqui no Brasil, a chefe que ela tanto admira mal sabe que ela existe, não tem amigos e nem namorado, seus finais de semanas são sempre solitários.
Quando é demitida, ela volta pra casa da família e se envolve em um projeto de acampamento de luxo  que seu pai está pretendendo pôr em prática e acaba desenvolvendo todo o projeto de marketing que dá super certo tanto que até a sua chefe descobre o lugar e se hospeda e aí que muita coisa começa fazer sentido pra Katie.

Mas antes  na impulsividade e com um pouco de infantilidade ela se vinga de sua ex chefe se aproveitando da vaidade dela as cenas dessa vingança dá até para gargalhar, mas logo você se dá conta de quão desprezível é o ato tanto de quem executa como também de quem deixa se levar por querer sempre está dentro dos padrões da boa aparência.

Katie descobre que aquele círculo de amizade da qual ela queria fazer parte não era nem de perto tão perfeito assim e que sua ex chefe decididamente precisava de ajuda.

A história também conta com um mocinho bem legal e charmoso  que vai fazer um par romântico, embora esse não seja o foco do livro, mas é bem gostoso de acompanhar.

Minha vida (não tão) perfeita é uma história que envolve aceitação de si mesmo e se colocar no lugar do outro, com certeza recomendo a leitura, é pena que com a perda do blog no final de 2017 perdi as resenhas dos livros que li da Sophie Kinsella, porém indico: Becky Bloom, delírios de consumo na Quinta Avenida , O segredo de Emma Corrigan, Menina de Vinte, Fiquei Com seu número, À Procura de Audrey (este breve terá resenha).

Kinsella trata de assuntos sérios e atuais de forma descontraída e muito divertida e isso é que mais me atrai nos livros dela. 

Comprar Agora!

48 anos até novembro, paulistana, louca por livros de terror, Thriller psicológico, policial, jurídico... Mas não dispensa outros gêneros. Também apaixonada por filmes e séries.

3 comentários :

  1. Olá,

    Ainda não tive o prazer de ler algo da Kinsella, mas tenho muita vontade, pois os inúmeros elogios me deixam bem curiosa a cerca das histórias abordadas por ela. Esse parece ser simplesmente deliciosos, com doses certas de todos os gêneros, o que acaba compondo uma leitura fantástica. Adorei sua resenha e anotei a dica!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Eu tenho uma vontade enorme de ler esse livro. Deve ser super interessante a personagem encontrar o sucesso que procurava trabalhando com a própria família e perceber que a vingança contra a ex-chefe não era assim tão necessária.

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem?
    Eu li esse livro ano passado e foi uma leitura que gostei muito pelas mensagens que ele passa. É um livro que nos mostra que, às vezes, imaginamos que a vida das outras pessoas à nossa vida são perfeitas e só nós temos problemas. No entanto, não é bem assim e todos passam por dificuldades.
    Sobre os outros livros da Sophie que você indicou, eu já li Fiquei com seu número e Menina de Vinte. Adorei os dois e pretendo ler os outros livros da Sophie.
    Beijos!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita!. ♥♥
Tem um blog? Deixe seu link que visitarei sempre que possível.
Comentários ofensivos serão apagados!